Últimas Imagens

domingo, 22 de abril de 2018

LABORATÓRIO SP NA SP

Na quinta-feira de 22 de março a SP abriu as portas da Sede para essa noite histórica. Os Mods paulistanos do Laboratório SP não fazia um show na cidade-natal há quase dez anos, e não fariam, não fosse o esforço do Corazzin e do China em reunir a banda, membro a membro, para esse retorno relâmpago. E foi sensacional. Abaixo um breve registro. 


Primeiro a coisa dependia da passagem do seu vocalista Walter Chinaski por São Paulo, pois reside em Londres. Então contactamos músico a músico e abrimos a casa para os ensaios do conjunto. Foram quatro ou cinco reuniões até que na noite de quinta-feira os quatro chegaram afinados para uma apresentação emocionante. Abrimos a casa às 19h com algum disco do The Jam na ambiência. Em seguida chegou o Nei Tralha com sua seleção de CD's de Soul, rock sessenta e Mod Revival, então um pouco antes da banda entrar China assume a pick-up e pau no gato: abre a roda dançante. Às 21h30 o Laboratório SP entra em cena para uma vibrante apresentação, começando com aquela que abre o disco Sob o Céu de São Paulo: Mundo Paralelo, como se vê no vídeo. 



A Z/L em peso estava presente, claro que alguns não puderam, estavam em outra, ou desaforados, foragidos, ou mortos, mas a maioria da gema se prestou em comparecer nessa reunião, tornando a noite histórica. Para quem não sabe, durante as últimas duas décadas a Zona Leste de São Paulo se tornou uma das principais referências nacionais em música e subcultura Mod e Garage-Punk, revelando dezenas de bandas, cada uma mais criativa que a outra. E desse miolo surgiu Os Tralhas Scooter Club, por volta de 2003 ou 2004, grupo que mais tarde foi um dos grandes responsáveis pela formação da Scooteria Paulista. Portanto, se tratava de uma noite literalmente histórica pra gente. E foi o máximo. Cem pessoas colaram na casa, dançaram, se divertiram, beberam, comeram, falaram e ouviram do mais fino trato da música antiga. O Laboratório SP tocou a maioria do disco, também Ecos da Trangressão, Promessas Vazias, Heat Wave da Martha & The Vandellas, e The Jam, a base da coisa toda: In The City, Modern World... Dada hora Ado Tralha passou o contra-baixo para o Fidelis, que tocou os temas Mundo Moderno e Coisas Sem Sentido. Segue um minuto daqueles sete abaixo. E fechando as participações, Pedro Carvalho foi convidado à guitarra, passando o Jun Santos para o contra-baixo. Eles encerrariam a apresentação com Biff Bang Pow, do Creation, banda mod britânica dos anos 60. Que noite, senhoras e senhores, que noite. A coisa terminou num frenesi de palmas e gritos de quem acabou de assistir a uma das mais essenciais apresentações de rock'n'roll. Passado o som os DJ's voltaram à pick-up até o inicio da madrugada pesando nos CDs e gravações da Tropitralha e outras pedradas inglesas.  


A gente agradece a todos os presentes nessa festa, ao Laboratório, DJ's Nei e China, e à equipe Scooteria Paulista, a melhor do planeta.

Arte: Leonardo Russo
Vídeo 01: The Firm Records
Vídeo 02 e relato: Fidelis