Últimas Imagens

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

X SÃO ANIVESPAULO

Na quinta-feira de 25 de Janeiro e São Paulo, pela décima vez seguida, foi homenageada pela categoria dois-tempista. Quase 80 motonetas clássicas participaram do São Anivespaulo, o encontro mais tradicional da Scooteria Paulista. E como de costume, a cada ano reverenciamos algum elemento histórico, identitário e cultural da cidade. Então dessa vez o tema foi bem claro: "São Paulo de Todos os Povos". Abaixo um breve registro do evento.


9h30 da manhã a Concentração já contava com mais de cinquenta scooters clássicas. Estávamos no bairro da Vila Anastácio, zona oeste, diante da extinta fábrica da Lambretta do Brasil, numa rua sem saída porém bastante movimentada pelo fluxo de caminhões de logística. O galpão da Lambretta estava lá, e funciona agora uma empresa de armazenagem e distribuição de mercadorias. Na frota contamos com as Lambrettas modelos LD e LI, Vespas modelos M4, Super 150 e "200", Rally 200, PX200 e Originale 150, também os modelos indianos Bajaj Classic 150 e Tuk-Tuk Bajaj/Kasinski. O blog Lambretta Brasil tratou de convidar alguns ex-funcionários da fábrica, e dois deles apareceram com memórias e documentos, o seu Roberto e o seu Antonio, que dada hora deram uma palavra-testemunho aos participantes, com curiosos adendos do sr.Laercio e do sr.Artur, que na época prestaram algum serviço à indústria.


Era tanta gente que eu passaria horas meditando para recordar de todos, então não me levem a mal mas dessa vez vou destacar os membros da nossa distinta sociedade dois-tempista, voluntários que fazem a máquina funcionar nesse clube: Leonardo Russo, Victor Hugo, Gabriel Corazzin, Renato Delia, Reginaldo Silva e Rose, China, Artur Biscaia, Rodrigo Sonnesso, Rafael Assef, Diogo Reis, Adriano Stofaleti e Lara, Afonso Antunes, Marcelo Santana, Edelcio Pasqualin, Diego Pontes, Vanessa Amado, Samuel Charelli, Carlos Volpato, Gabriel Forte, Fernando Pastorelli, Diogo Vinícius, Gu e Caco Parise. Somado ao Koré e Cris e Kadu, que preparavam as coisas na Sede, aproveito para agradecer a essa equipe exemplar! 



Às 10h30 ligamos os quase oitenta motorinos e partimos pela Lapa rumo à Barra Funda e Centro antigo da cidad, controlando a coisa pelos faróis, ajustando o comboio às situações do tráfego geral. E pouco a pouco cruzávamos a grande cidade numa grande sinfonia de bielas e buzinas. Houvera tantos detalhes a ser contado, mas o tempo aqui não é mais o mesmo, então pularemos os episódios e vamos aos finalmentes. Chegamos ao Museu da Imigração, na Mooca, apenas à cunho simbólico, para lembrar a todos que praticamente a totalidade de nós fomos, em algum momento, imigrantes, migrantes, passageiros e nômades que chegou nessa terra trazendo nada além de suas roupas, marcas de sofrência da terra que deixara para trás, e alguma esperança em recomeçar suas vidas numa nova sociedade em formação.

Abaixo o vídeo do Caco Parise em 360 graus:



As 13h30 chegávamos em nossa Sede, no alto da Mooca, para um almoço geral com música, geladas e prosa. Um dia maravilhoso que se completava a cada visitante que chegava embasbacado com a beleza de tantas motos históricas reunidas. O clima estava ótimo, a equipe trabalhando com gosto, o pessoal do Acarajazz servindo seus pratos bahianos maravilhosos, e China e Koré revezando na discotecagem de sons do mundo, beirando o rock que fazemos.


Mais uma vez nos desculpamos com todos pela ausência de seus nomes nos registros, mas o vídeo e as fotos não mentem. Vocês fizeram o X São Anivespaulo acontecer!! Obrigado São Paulo 464 anos, e anivespaulistas de uma década!

Breve relato por Fidelis / Vídeo e fotos por Caco Parise.