Últimas Imagens

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

V RADUNO DA PRIMAVERA - PARTE 2 DE 2

Nesse final de semana vivemos aquele que talvez tenha sido o mais divertido Raduno da Primavera. Foi a quinta edição, a primeira de dois dias. Ao todo reuniram-se 50 motonetas e seus destemidos condutores, das cidades de Santos, São Paulo, São Bernardo do Campo, Itapevi, São Roque, Itatiba, Campinas, Osasco, Guarulhos e Araraquara. A invasão na "Brighton brasileira" aconteceu nesse final de semana. Contaremos aqui a segunda parte disso.


Domingo de sol e céu aberto. Um dia perfeito para a parada na praia. Pelas 11h abastecíamos a frota resistente de vinte motonetas que tocaria até o Guarujá. Macruz, Edelcio e um velho amigo dos nossos subiriam a Imigrantes naquele instante, estavam em duas Lambrettas LI's e uma Vespa. Os Intocáveis estavam a caminho de Araraquara. Buzolli e sua amiga tinham subido bem cedo, também o Volpato. Da capital chegava o Paulo "De Vito" e o Senna. No agrupamento estava também o Delacorte, Luca Perucchi e sua cachorrinha, Diogo, Vitor "Ernest", Piera "Itatiba", Everton, Favero, Reginaldo/Rose, Much, André/Alessandra, Aden, Edu Parez/Silvia, Maturino e seu pai, eu etc. (Peço desculpas aqueles que não cito, é por esquecimento, e assim que me lembrar ou for lembrado, adiciono a esse post).


Um dos momentos mais emblemáticos do Raduno é a travessia Santos-Guarujá pela balsa. São quatro eternos minutos, talvez cinco. Debaixo de um sol pra lá de forte, daquele céu azul de primavera paulista, tocamos até a Praia do Tombo, a de costume. Por lá nos estenderíamos por três horas ou um pouco mais, para almoço, prosa, banho de mar.


As 16h em ponto dobrávamos a esquina rumo à Piaçaguera-Guarujá, acesso à Rodovia dos Imigrantes. Delacorte foi na frente, e guiou alguns para um caminho em obras que dividiria o grupo para a volta, levando Diego/Cintia, Everton e Senna a se perderem da gente. A subida foi tranquila, em quinze motonetas. Nos mantínhamos à direita, sempre sinalizando a cada ultrapassagem ou mudança de faixa. Apesar do tráfego da volta do feriado, nos sentíamos tão seguros quanto na ida. Creio que a única dificuldade de fato se deu na entrada da cidade grande, quando o trânsito parou por conta de um acidente qualquer.


Essa foi a quinta edição do Raduno da Primavera, um evento que é especial porque acompanha a história da SP e porque talvez tenha sido o primeiro 100% scooterista clássico rodoviário contemporâneo... (affff que palavrório). Bom, ficamos assim então, ano que vem repetiremos os dois dias, melhorando as questões de hospedagem e turismo. Muito obrigado a todos os participantes, de Santos, São Paulo, São Bernardo, Itatiba, Osasco, Guarulhos, São Roque, Itapevi, Campinas e Araraquara.

Agradecemos imensamente o apoio do Empório Motoneta (Santos), da The Firm Records (Santo André), da Free Willy Moto Peças (São Paulo), Trackers (São Paulo), Santos Hostel e Jenny Woo Oi! Project (Canadá).

Relato por Marcio Fidelis
Fotos por Karla Jales e Fidelis.

Nenhum comentário: