Últimas Imagens

sábado, 31 de maio de 2014

HERNÁN S.P. E O VESPA CLUB CÓRDOBA


Na semana passada Hernán Rebalderia esteve com o Vespa Club Córdoba e amigos, levando nossos "saludos" e materiais ao agentes da trupe. Foi muito bem recebido, andou de Vespa, reencontrou nossos amigos e visitou o afamado Malta Vespa Bar, conforme conta abaixo:


Estou fazendo uma road trip pelo país, dessa vez sem "business" misturado, e sem Vespa. Mesmo assim, antes de partir, pedi para Fidelis alguns materiais da Scooteria, já que na viagem passaria por algumas cidades com clubes de Vespa. Atualmente estou na província (estado) de Córdoba. Aqui falei com Christian Orellano, quem conheci no "I Encuentro de Paraguay". E por coisas do destino, eles estavam planejando um passeio para o dia sábado (ontem). Combinei então para nos vermos. Um dia depois tinham confirmado uma Vespa para mim, que seria emprestada por Aldo, atual presidente do Vespa Club Córdoba. Boa notícia!

Fomos com o amigo que estou fazendo a viagem (também com nome Hernan) desde Villa Carlos Paz ate Cordoba (capital), 8h da manhã. O Aldo, muito boa onda, empresto uma Vespa Excel cor prata muito bonita. A primeira coisa que chamou a minha atenção desse modelo foi o painel: e gigante! Depois, já rodando, notei que o som do motor é bem mais suave, e quase não dá para ouvir o lindo "papapa papaapapapa" como o da minha PX200. O Christian me emprestou um capacete, e Aldo, umas luvas. Fundamentais.Bom, então fomos para o posto, e meu amigo Hernan seguia no carro de apoio da viagem. Nele iam garrafas térmicas com água quente para fazer mate (chimarrão), queijos e salame para fazer uma picada (ou "petiscar"). Ja no posto estavam umas 10 motonetas aguardando. O tempo estava bem fechado com nuvens cinzas. Encontrei a Paola e alguma outra pessoa que já conhecia do encontro do Paraguai. Umas 10h começamos a viagem. Mas primeiro, numa grande demonstração de afeto, o comboio desviou para buzinar e falar "tchau" na casa de um vespeiro que teve um acidente de moto e estava com a perna toda com pregos. 


Continuamos viagem. Iam ser uns 100km de estrada, com mais curvas do que retas, subidas e descidas. Paisagens incríveis e muito frio, muito. A primeira vez que andei de moto foi em SP, e me acostumei com o clima de lá. Mas o capacete que não ficava tão colado na minha cabeça, e entrava um vento gelado que literalmente ia congelando a minha cabeça. Isso foi o único "ruim" da viagem: sofrer com o frio. Sorte que tinha luvas e roupa quente. Fizemos alguns stops para reagrupar o comboio, como num ponto alto com vista ao Dique Los Molinos. Uma paisagem incrível. Ali três Vespas serviram de mesa para a nossa refeição, e com canivetes e facas os amigos começarem a cortar o queijo, o pão e o salame, enquanto outros preparavam o mate. Muito chique, muito argentinean style e muita confraternização, Um parêntese sobre o grupo de vespistas: a média de idade deles é um pouco mais alta que a turma da Scooteria Paulista. Uns 45 anos, acho. O mecânico, o senhor Prospero, tem 70 anos e ia no final do comboio com colete amarelo. Outro detalhe sobre ele: um cara super legal conforme todos dizem, e talvez o melhor restaurador de Vespas do país, e o único com uma mala de ferramentas oficial da Piaggio, por ser técnico oficial da marca a 50 anos.

Bom, continuamos viagem, eu agora com um cachecol na cabeça para não sofrer o frio. 50km depois a gente já estava em Villa General Belgrano, uma cidade que tem muito de alemã porque teve uma grande imigração na Segunda Guerra. Muitas casas feitas em madeira estilo alemão, muitos restaurantes de comida típica, e claro, cerveja. Lá fazem o Octoberfest versão argentina. Mesmo assim, com muita responsabilidade, ninguém bebeu álcool durante o almoço. Dado: em Córdoba a polícia tem tolerância zero com o álcool. Quer dizer, vc bebe 1ml de cerveja, e é multado.

Depois do almoço, e de ver turmas de todo tipo de moto chegando no local (de corrida, estradeiras, quatriciclos, etc), começamos a volta. Parada técnica para abastecer e novamente estrada. Com a última luz de sol a gente se despediu depois de um pedágio, e continuamos em comboio reduzido para a casa do Aldo, onde eu deixaria a minha Vespa. Dei uns Motorinos para eles e adesivos da Scooteria.

Em resumo, uma linda experiência representando nossa Scooteria Paulista. E uma demonstração do quão legal que é este mundo das motonetas clássicas. Fico super agradecido a Christian, Aldo e todo o Vespa Club Córdoba pela boa onda. Tomara algum dia eles venham para SP!!


Na noite seguinte Hernán visitou o Vespa Malta Bar, e reporta: "Alo scooteristas, ontem esteve no Malta Vespa Bar aqui em Cordoba, Argentina. O dono apelidado "Serrucho" é fanático das Vespas e montou este bar-restaurante temático. O Vespa Club Cordoba faz as reuniões aí nas quintas a noite. Como dá para ver, tem posters até no teto. E o velho adesivo da Scooteria na geladeira da cerveja Quilmes. Fomos com o maluco Nano Aliaga que passou o fim de semana em Cordoba. Excelente atenção e uma pizza muito boa que o dono fez questão em convidar. Nota 10".

Nenhum comentário: