Últimas Imagens

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Um Dia na SIP Scootershop (Alemanha)

Finalmente chegamos lá: SIP Scootershop. Foi o nosso primeiro contato internacional. Mal a Scooteria Paulista havia nascido e já estávamos com um pacote de catálogos, stickers (etc) nas mãos. Já era tempo de algum de nós dar uma passadinha pelo sul da Alemanha e retribuir a lembrança. Nossos embaixadores Luiz Lavos e a Clausen Colins foram, direto para um evento oficial da loja, o SIP Shop Opening. Conta pra gente Luiz...


Assim que ficou decidido que um dos destinos de minhas próximas férias seria a Alemanha a idéia de visitar a SIP Scootershop logo veio à minha mente. Pesquisando melhor descobri que Landsberg am Lech, a cidade onde ela está localizada, ficava a 40 minutos de trem de Munique, um dos locais onde eu me hospedaria, e a dúvida então começou a pairar sobre mim. Vou ou não vou? Essa indecisão perduraria por alguns dias, até eu receber o primeiro "sinal" bem na timeline do meu Facebook. Numa certa manhã a página da SIP divulgava um Shop Opening, um evento aberto com comes e bebes para promover seu novo showroom. Meus olhos correram para a data na tela e em seguida para o calendário na mesa. Dia 10 de agosto, um sábado, exatamente enquanto eu estaria em Munique. Era demais para resistir, eu visitaria a SIP Scootershop!

Agora que estava decidido eu precisava dividir a novidade com meus companheiros de Scooteria e foi o que fiz enviando uma mensagem para o Márcio Fidelis. Foi então que recebi o segundo e definitivo "sinal". Tão empolgado quanto eu, ele respondeu: "Luiz, se você vai na SIP temos que avisar o Martin!" Sim, Fidelis conhecia o gerente de vendas da loja e imediatamente mandou um email avisando que um membro da Scooteria Paulista estaria presente no evento. Decidimos que esta seria a oportunidade perfeita para retribuir o presente de 3 anos antes, quando Martin enviou uma série de materiais para o grupo, e combinamos de discutirmos os detalhes na próxima reunião. Quinta-feira chegou, e foi no tradicional encontro noturno na sede que tratamos de separar materiais nossos, de outros clubes e empresas que fazem a cena scooter latino-americana para levar para os alemães. Parecia que eu era um astronauta rumo à Lua, todos estavam empolgados, davam conselhos e desejavam boa sorte. Obviamente não era o caso mas a responsabilidade que eu sentia era quase a mesma. Com apenas alguns dias como membro oficial eu seria o "embaixador" da Scooteria Paulista na visita à uma das Mecas do scooter mundial, não podia fazer feio. Nos dias que se seguiram Martin e eu trocamos emails e tudo ficou acertado. Agora era esperar e tentar conter a ansiedade. 

Martin e Luiz
Semanas se passaram e o grande dia finalmente chegou. A previsão do tempo se confirmara e o sol brilhava com apenas algumas nuvens pelo céu. Eu e minha esposa Clausen acordamos cedo e seguimos direto para a estação central de Munique. O evento aconteceria entre 10 da manhã e 2 da tarde e precisávamos pegar o trem das 9:19h (sim, o trem partiu exatamente nesse horário) para chegar à tempo de aproveitar o máximo possível. E foi o que aconteceu, conforme previsto nosso trem chegou em Kaufering, a estação mais próxima da loja, exatamente às 9:54h e 20 minutos de caminhada depois nós já avistávamos a aglomeração de scooters na rua. Entrei na loja meio perdido e logo fui abordado por Martin, sorridente e tão surpreso quanto eu por realmente estarmos lá. Nos cumprimentamos e já tratei de entregar o pacote que havia trazido do Brasil em minha mochila. Perguntei se poderíamos tirar uma foto juntos e ele próprio pediu para vestir a camiseta do encontro nacional que eu havia levado de presente. Missão cumprida!
Clausen na "Ape-Cafeteria"

Conversamos um pouco, sempre em inglês, enquanto tomávamos um espresso diretamente de um Piaggio Ape convertido em cafeteria móvel, e em seguida Martin nos deixou à vontade para curtirmos o evento. Tudo era muito organizado e além do "Ape Cafeteria" havia também um "Ape Pizzaria" (com um forno à lenha na parte de trás de onde saiam pizzas abertas e recheadas alí mesmo) e uma barraca vendendo cerveja (afinal, estávamos na Alemanha). Já a diversão era gratuita e ficava por conta do austríaco Lumpi Schachermayr e suas acrobacias sobre Vespa. O clima era familiar e o público bem variado. Segundo o balanço oficial mais de 500 pessoas estiveram no local, porém a rotatividade era alta e não houve aglomeração. Entre as motonetas do acervo da SIP e as de clientes estacionadas do lado de fora, estavam Vespas 125 "Faro Basso", 90 Super Sprint, 125 Primavera, Rally 200, PK125, GS150, TS125, PX150 e até a novíssima Vespa 946. Também haviam Piaggio's Ciao 50, Lambrettas LI150 e uma Heinkel Tourist 103. Dentro da loja, os 100m²  do showroom com paredes de madeira e decorados com extremo bom gosto, contavam com um telão onde rolavam vídeos das viagens da equipe pela Europa e dois grandes sofás de couro que davam um ar informal ao lugar.


Comemos, bebemos, namoramos os produtos nas prateleiras, pegamos adesivos e todo tipo de material disponível para trazer pra galera da Scooteria e no fim das contas, apesar da vontade de levar tudo pra casa, compramos apenas uma bolsa e um par de luvas. Algum tempo depois Martin retornou com Ralf Jodi, um dos fundadores da empresa em meados da década de 90, que nos explicou que a idéia do novo showroom era justamente estreitar a relação entre a SIP e seus consumidores, que antes disso não tinham muito o que ver quando visitavam a loja física. Foi então que Martin nos convidou para um tour pelos bastidores. Passamos pela porta atrás do balcão e a visão era impressionante, com caixas e prateleiras a perder de vista. Pra ser mais exato, a SIP conta com 2.500m²  de estoque, cerca de 23 mil itens catalogados e despacha mais de 400 pedidos por dia! Demos uma volta por alí e seguimos para os escritórios. A aparente calmaria era apenas por conta do sábado de folga, num dia normal aproximadamente 70 funcionários trabalham nos diversos setores da empresa. Ao final do tour Martin pediu para que deixássemos uma mensagem no recém inaugurado livro de visitantes e nos presenteou com um par de camisetas e um catálogo (gigante) destinado à Scooteria.


Pontualmente às 14 horas as portas da loja se fecharam. O evento chegava ao fim e Martin sugeriu aproveitarmos o restante do dia para conhecermos o centro de Landsberg. Mas havia um problema, ele estava de Vespa (uma GS150) e não tinha como levar mais duas pessoas. A solução acabou sendo tão divertida quanto um passeio de motoneta. Ele foi na frente em sua Vespa e nós seguimos logo atrás com Moritz Kohrs, o gerente de produtos da loja, em seu simpático Fiat 500 Giardiniera ano 1965. A carona foi rápida e em poucos minutos chegamos ao nosso destino. Moritz se despediu e passamos as horas seguintes com Martin numa agradável caminhada por aquela típica cidadezinha do interior da Bavária. A tarde ia caindo e só depois que ele se certificou que saberíamos retornar em segurança até Munique é que finalmente nos despedimos. Ainda houve tempo para que eu e Clausen aproveitássemos os últimos raios de sol tomando a saideira num Biergarten à margem do rio Lech antes de retornarmos. Era o fim de um dia perfeito que ficará para sempre em nossas memórias.


Quando comprei minha Vespa tinha certeza de que ela seria o grande elo de ligação entre mim, minha esposa, os lugares que ainda não conhecíamos e os amigos que ainda não havíamos encontrado. Mas nunca imaginei que ela nos levaria tão longe. Fica aqui, mais uma vez, nosso agradecimento à todo o pessoal da Scooteria Paulista. Sem vocês nada disso teria sido possível. Vielen Dank!

Trilha sonora sugerida:
Rammstein: Mein Land 

Um comentário:

Scooteria Paulista disse...

Fotos por LUiz Lavos e Clausen Colins.