Últimas Imagens

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Na Áustria #2

No final de Julho os paulistanos Daniel Turiani e Gisele Leiva - membros oficiais da SP- estiveram pelo Velho Continente, e vespisticamente falando, viveram na cidade de Pinzgau (Áustria), dois dias inesquecíveis junto do Vespa Club Pinzgau, história que Daniel continua contando agora:


DIA 2

Como estávamos exaustos do dia anterior, preferimos descansar um pouco e só acordamos às 9h da manhã. De café tomado, seguimos até o escritório do Franz que fica ao lado do Vespa Club. Chegando lá, fomos novamente recebidos de braços abertos e para nossa surpresa, o Franz nos disse que tinha muito trabalho e não poderia andar de Vespa conosco. Já na minha mente imaginei que passaria o dia caminhando pelo lago e tinha acabado a aventura sobre 2 rodas. Estava enganado. Ele havia separado os capacetes e sua bela Vespa Super 300cc e nos disse que podíamos ir para onde quiséssemos, contanto que estivéssemos de volta às 18h para participar da reunião na sede. A alegria foi enorme, mas ao mesmo tempo fiquei com muito receio de toda a responsabilidade que ele havia nos dado. Para não sair sem rumo, pedi uma dica de ponto turístico. Ele nos deu uma série de opções, mas insistiu que fossemos até as cachoeiras de Krimml, a uns 60km de distância de Zell am See, pois era um belíssimo passeio, longo, porém seguro, e aproveitaríamos bem de Vespa. Aproveitando o momento de demonstração de amizade, saquei da manga todos os presentes que havia levado do Brasil e também os brindes da nossa Scooteria Paulista. A alegria e surpresa dele eram claras. Acho que ele não imaginava receber tantos mimos saídos de mochilas tão pequenas para aquela viagem. Ficou visivelmente impressionado pelo design gráfico dos postais, cartazes e pelo famoso logo com a rosa dos ventos. Nos despedimos momentaneamente e partimos para Krimml. 


Sem grandes dificuldades, chegamos ao destino em aproximadamente uma hora de estrada. Ao longe a enorme cachoeira se mostrava no meio da mata e despencava em três níveis na montanha. Procuramos um local para estacionar e como era de se esperar, tudo muito organizado. Motos de um lado (gratuitamente) e carros de outro (pagantes). No local havia um enorme armário com total segurança (como se fosse necessário) para deixar pertences e aproveitar bem o dia. Seguimos trilha adentro e a cachoeira era tão bela que acabamos nos empolgando e subimos toda a montanha á pé, mesmo não estando adequadamente vestidos para isso (tênis e jeans). No topo, tomamos uma bela cerveja de trigo e já estava ciente que deveria ser uma só, pois era o limite alcoólico para se guiar uma vespa emprestada em um país de língua enrolada. Com aquele cenário exuberante, esquecemos da vida e só partimos as 17:30. Acelerei a vespona e retornamos ao Vespa Club em menos de uma hora. Todos estavam lá, bebendo cervejas e batendo um papinho alemão esperto. Receberam-nos com muita alegria e assim fomos apresentados a todos. A conversa basicamente era em inglês, mas eu arranhava um alemão para agradar. Ficaram muito surpresos de saber que no Brasil muitas pessoas mexem nas próprias motos e adoraram quando contei que tentava tunar o cilindro da Vespa com a micro retífica. Disseram que isso era muito “Old School” e que eu era um louco, pois lá, eles compram facilmente os kits Malossi da vida. A noite foi passando, com muita cerveja local rolando, todos contando suas aventuras e pedindo para contar coisas do Brasil. No telão ao fundo, Franz mostrava as fotos dos seus rallys de longa distância pela Europa. 


No final da noite, quando todos haviam partido, Franz nos chamou numa outra sala e nos mostrou os brindes que havia separado. Era tanta coisa que fiquei atordoado. Pins, banners, adesivos, patches, chaveiros e um monte de outras miudezas destinadas à Scooteria Paulista. E foi neste clima de bons amigos que nos despedimos do casal austríaco com abraços, promessas de retorno e convites para nos visitar no Brasil. A chuva continuava caindo e de alma lavada, já com saudades de tudo, seguimos nosso caminho de volta.


Texto: Daniel Turiani
Fotos: Gisele Leiva
Indicação do casal:
Eddie Vedder: Into the Wild

Um comentário:

Ju Pontes disse...

que lindo esse carrinho da vespa. adorei o blog. meu nome é Juliana Pontes, vou acompanhar sempre. beijinho.