Últimas Imagens

segunda-feira, 15 de julho de 2013

GIRATA D'INVERNO (Parte 1 - 09 de Julho)

Na terça-feira de 09 de Julho demos início à Girata, cujo conceito respeita tanto a união dos sócios quanto os giros temáticos abertos, tradição que recobramos no início de 2009 com o I São Anivespaulo. Portanto, a Girata D'Inverno é (e deverá ser) um evento feito em dois tempos. Do primeiro...


São Paulo, 09 de Julho, 09 da manhã. Um Pátio do Colégio calmo de fim de feriado prolongado. A data representa a memória da Revolução de 32. Nesse dia reunimos a nossa pequena sociedade para uma homenagem à SP. Do Centro da Capital saímos em oito Vespas, por ordem de chegada: Fidelis, China/Leika, Daniel Turiani/Gisele, Raphael Favero, Fabio Much, Emerson Mestrinelli, Rafael Assef e Sr.Artur Biscaia. Nossas Vespas: Super 150, Super "200", PX200 e Originale "200". Antes da saída o Sr.Artur distribuiu algumas cópias do poema "Nossa Bandeira", um clássico de Guilherme de Almeira, feito ao final de 1932. Um trecho: "Bandeira da minha terra / Bandeira das treze listas: / São treze lanças de guerra / Cercando o chão dos paulistas! São os dois rápidos brilhos / Do trem de ferro que passa: / Faixa negra dos seus trilhos / Faixa branca da fumaça.


Foi um giro simbólico, rememorando os passos do I São Anivespaulo (de janeiro de 2009). Naturalmente veio a 23 de Maio e o Obelisco do Ibirapuera. Por lá acontecia o desfile cívico e o militar. Até tentamos no infiltrar, mas era tarde. Seguimos para a Av.Paulista, aonde fizemos uma parada inesperada para esperar o Turiani/Gi que se perderam pelo Paraíso. Na descida da Rua Augusta, reparei mais abaixo um casal com uma scooter qualquer envelopada, eles pareciam esperar pela gente. Olhavam pra trás, parados com o motor ligado. De fato, o casal viu a gente e queria se enturmar. Sem chance!! Fizemos a nossa parte, e eles foram embora num buzinaço solitário. Muchiba lembrou da canção: "A gente Vai na Augusta e os caras batem na gente". Oito motores clássicos, mantendo a essência do scooterismo sem "blablablablismo" de paixão por Tupperware. Passamos pela Igreja da Sé, descemos pro Glicério e entramos na zona leste da cidade direto para a casa do China e da Leika, aonde hoje funciona a "ofichina" Scooterboys. 


Leika havia preparado macarronada e Carne Louca - carne-leika - e estocado cerveja. Busquei minha namorada e voltei. Quando o Koré e a Cris chegaram, corremos na Sede da SP (ali pertinho) e pegamos a barraca para proteger o povo da garoa. No começo da tarde chegavam por lá o Reginaldo e a Rose, o Leo Russo, o Marcelo Santana e a Valery, o Aurélio Martimbianco e a Érica. Foi uma tarde divertida, com comes e bebes, música e prosa. (A música do scooterismo clássico? Acho que existem estilos que correspondem mais e mais, pela tradição que foi perpetuada na literatura, memória oral, em vídeo e imagens do passado). Fechamos o dia com um papo ligeiro sobre a Girata coletiva do domingo, essa que viria a ser, e foi, um marco para todos os presentes. A Scooteria Paulista, a partir do seu terceiro aniversário, se tornou uma sociedade, com adimplentes, com votações e sobretudo amigos para sempre. A velha ideologia morreu (daí o tema "La Muerte de La Scooteria Paulista"). Essa é uma fase necessária. Se você, proprietário de alguma motoneta de motor 2 Tempos, tem interesse em fazer parte dessa história e dessa banca, entre em contato conosco e saberá como é. Sei que alguns não querem se comprometer com nada porque motoneta é apenas um hobby, ou porque tem aversão a bandeiras e grupos. Mas acontece que na outra ponta da história existem aqueles que trabalham e investem o máximo que podem para que outros tenham o prazer de viver acontecimentos coletivos como esses registrados aqui. A gente preza um algo a mais, porque pra gente, é um estilo e uma filosofia: a vida em 2 Tempos. E também "porque tener una Vespa no te hace vespista", dica do Motonetas Manizales, Colômbia. (A mesma frase se aplica à Lambretta).

Texto: Marcio Fidelis
Fotos: 01 Rose; 02 e 03 Fidelis
A Scooterboys toca:
Oi Skall Mates: Scooter Boy Scooter Girl

2 comentários:

Anônimo disse...

galera unida, fantástica! desculpem o sumisso galera, a minha vespa estava falhando na avenida do estado e aí eu preferi voltar pra casa pra mecher nela. na próxima vez eu vou com ela redondinha. obrigado pela recepção, voces sao uma galera nota dez . Carlos Magalhães - vespa Px prata

Anônimo disse...

HAUHAUHAUAHUAHUAH PAIXÃO POR TUPEWARE FOI DEMAIS

PJ LAMMY