Últimas Imagens

domingo, 12 de agosto de 2012

Da Expedição Paulista à MG (Parte 4: Fundação do Poços Scooter Club)

Manhã de sol em Poços de Caldas, o dia seria longo, um domingo de 30 horas. 05 de agosto, marco de inauguração do Poços Scooter Club, num grande evento público com exposição, cerimônia, música e passeio pela cidade.


Nos encontramos no restaurante do Hotel Reis, e por lá nos despedimos do nosso novo amigo Fernando Correia, que já havia anunciado que voltaria antes de nós para São Paulo devido a compromissos. Ficou em aberto para o grupo que quem quisesse voltar mais cedo aquela seria a hora, pois teria companhia para a viagem. Alex Aparecido e o "Seu" Artur toparam. Os três partiriam as 10h, nós bem depois.

Ao chegarmos com a frota no evento outra vez fomos anunciados pelo mestre de cerimônias. A sensação era de que o local estava lotado. Paramos nossas motonetas ao lado das mineiras, em frente ao palco. John Silva ao microfone agradeceu a recepção e contou um pouco da sua viagem. Uitamar Bandeira deixaria seu "sinalizador de pouso" - sistema de luzes na dianteira da Vespa - ligado. Flavio Barbie justificava o troféu Alta Performance (SP em 2T segunda temporada) da SP. Raphael Favero pela primeira vez viajava em Vespa para o Estado que tanto visitou de caminhão. Luis Koré e Cris orgulhosos pelo alcance da cena paulista chegando nos lados das vossas "segunda cidade", intermediando esse "café com leite" dois-tempista. Leo Russo quebrava um tabu, sendo ali o primeiro do clube a levar uma Super 150 rodando no platinado para outro Estado brasileiro. Tatu colava adesivos dos Motonetas Clássicas Campinas nas latas, e Mauro quieto observava a tudo sentado em sua voadora Lambretta MS. Marmirolli outra vez presente. O "Seu" Laércio, que chegou para ficar, trouxe sua vecchia Lambretta D, lembrando a todos como nascera a primeira geração do scooterismo nacional. Emerson Mestrinelli e sua PX200 participava pela segunda vez do Poços Classic Car, tendo tido agora sua presença requerida. Marcelo Santana se jogava em mais um tiro longo da SP, agora para fora do Estado. E a guerreira Luciana Silva: a primeira garota da SP a ir tão mais longe. Então entre amigos estávamos, carimbando esse capítulo-chave da história do scooterismo clássico nacional.

O público prestigia a exposição das motonetas. Na foto John Silva
Matilda
Eduardo Alvisi estava feliz e ansioso, apesar do cansaço e da ressaca. O organizador de tudo aquilo teria naquela manhã um novo caminho aberto em sua jornada pela cultura dos antigos: o scooterismo clássico. Trazia consigo uma tropa de oito motonetas sul-mineiras, dentre elas uma PX200 paulista hot rod, também os modelos PX200 e uma Lambretta LI, além da raríssima Iso Milano. O dupla campineira das Motonetas Clássicas chegavam junto com uma Lambretta LI e uma MS. E a Scooteria Paulista com 15 fardados (três já haviam partido) nos modelos: Vespa PX200, Originale e Super 150 + Lambrettas Standard D e LI. (A essas alturas o Clube da Lambretta de Jundiaí já tinha partido pra casa, nas Standard D, LD e LI.

Pelas 11h da manhã eu, Fidelis, fui chamado ao microfone para ler ali a nossa carta de batismo, entregue ao Poços Scooter Club, em nome de toda a Scooteria Paulista. A alegria do povo mineiro estava estampada no rosto de cada um: Minas Gerais agora tem uma frente!! E para ela declaramos: 

"É com todo o orgulho que vem de dentro dos nossos corações carbonizados que declaramos o Poços Scooter Club oficialmente batizado pelos scooteristas paulistas na manhã de 05 de agosto de 2012, numa celebração ferruginosa que conta com dezenas de scooters clássicas, durante a quinta edição do Poços Classic Car, no Estado de Minas Gerais.
Que essa reunião "café com leite" seja a primeira de uma infinita amizade que agora fecunda em 2 Tempos.
Em nome da SCOOTERIA PAULISTA entregamos esse documento ao POÇOS SCOOTER CLUB pelas mãos do seu presidente, o Sr. Eduardo Alvisi.

'So remember, out there, somewhere / You've got a friend
And you'll never walk alone again'.

Então se lembre, lá fora em algum lugar / Você tem um amigo 
E você nunca mais vai andar sozinho outra vez - 
Cock Sparrer, ING"

Pelas 11h20 ligamos as 25 motonetas numa grande sinfonia ao ar livre. Ainda cozinhamos por cinco minutos até que encontrássemos o John Silva distraído na praça. Durante o passeio as pessoas se espantavam ao ver aquela cena inédita. E o calor humano que o povo transmitia pra gente era contagiante. Era como jogar bola na Rua Javari, na Vila Belmiro, na Bombonera. Rodamos por meia hora, talvez 15 kms, puxados pelos respectivos presidentes: Eduardo Alvisi e Marcio Fidelis. As meninas do carro de apoio da SP seguiam conosco em suas garupas, e os rapazes sorrindo com a maravilhosa sensação de dever em cumprimento. Todas as motonetas se comportaram muito bem.

Era meio-dia e o Poços Scooter Club estava fundado. Um êxito! Um marco significativo na expansão da cena rumo ao norte, e um orgulho especial para nós, padrinhos do clube mineiro. E fica aqui registrado que um dos grandes responsáveis por esse acontecimento é o nosso piloto bandeirante Luis Koré e sua garota Cris Yummi, quem de fato fizeram o elo café com leite e colocaram o coração na coisa. Agradecemos a todos os paulistas que valorizaram esse evento em sua real importância, e ao Clube do Carro Antigo de Poços de Caldas, que pelo seu vice-presidente Eduardo Alvisi e sua esposa fotógrafa Daniela Alvisi, nos proporcionou a estrutura necessária para realizarmos a nossa segunda Expedição Paulista à Minas Gerais.










3 comentários:

Scooteria Paulista disse...

Todas as fotos por LEONARDO RUSSO.

Anônimo disse...

Quantas fotos lindas. Com certeza estar lá foi um privilégio pra quem foi. Parabéns Scooteria, vocês jogam pesado e estão escrevendo uma história maravilhosa. Quanto orgulho tenho da S.P.

PJ Lammy

Anônimo disse...


Acima de tudo, a gente tem que ter palavra... As coisas no BR. não vingam porque ninguém cumpre o que fala...
Não importa se é pequena promessa, ou grande promessa política...
O que precisamos é vergonha na cara para cumprir o que falamos!!!

DC