Últimas Imagens

segunda-feira, 5 de março de 2012

SC em Lambretta e Vespa - A Ida (Etapa 1)

Na madrugada de sábado a turma acordava, cada qual da sua cidade: São Bernardo do Campo, São Paulo, Santo André, Americana, Pedreira, Campinas e Limeira. A turma do Circuito das Frutas optaram de antemão por descer pela serra de Juquiá até a Régis Bittencourt, aonde nos encontramos.Barbie e Uitamar foram rodando. O André seguiu por horário diferente, e Tatu igualmente, mas em tempo e nos encontraria mais tarde. O Marmirolli trazia a sua Xispa num reboque. E por fim, o Aurélio, o Animal Taylor e eu, Fidelis, encaramos o mesmo caminho das pedras, sem mais opções. Começava o sábado dos 8 paulistas e rumo ao encontro nacional.


Às 5h da manhã o Aurélio (São Bernardo do Campo) já estava na Padaria do Estadão com sua PX200 laranja, a novidade da classe. O Fabio Much também foi, ébrio e sem bagagem, decidido a não viajar por superstição e outros fatores. Ainda assim ele passou por lá na hora da partida, trazendo os seus votos de boa viagem. Nesse momento o Animal Taylor saía de Santo André. Pelo celular do Aurélio passei ao Animal a instrução. Cada qual começava naquele momento a sua saga rumo ao Santa Catarina em Lambretta e Vespa 2012. Dos eletrônicos eu levava comigo um notebook, um celular sem crédito e uma câmera filmadora da Drift, gentilmente emprestada pela Rosa Freitag para essa viagem. Na bagagem seguia algumas roupas, souvenires e as peças de Vespa PX, consignadas pela Free Willy Moto Peças ao comboio da Scooteria Paulista: velas, cabos, lâmpadas, coxim, amortecedor traseiro, prisioneiros, braço seletor de marcha, um par de manetes, câmera de ar, óleo 2 Tempos.

No local combinado, naquele posto, esperamos pelo Animal por meia hora ou mais. Ligávamos e ele não atendia. Foram dois cigarros mentolados, e nada do amigo. Então partimos, na esperança de que o aventureiro andreense apertasse o passo e nos encontrasse mais à frente. Amanhecia, e o sábado era agitado na BR. Driblávamos dezenas de caminhões e carros por minuto na região de Cotia e Taboão da Serra. Cogitei ali que de repente pudesse encontrar o seu Artur Gildo para essa viagem, mas por questões de saúde ele não encarou essa empreitada. Passamos pelo primeiro pedágio, o Aurélio e eu, roubando as atenções todas daquela imensa fila de "carnavalistas". Dali conseguimos contactar o Animal Taylor, que entrara na Raposo Tavares por sabe-se lá qual motivo e rota. A nova instrução passada pelo celular do Aurélio foi que ele nos encontrasse então no primeiro posto de combustível após aquele pedágio, depois de Itapecerica da Serra. O posto fica a uns 12 kms adiante. Tentei acessar algum sinal de Wi-Fi, porém sem sucesso. Isso se repetiria por toda a viagem. Testamos o Modem 3G do Aurélio mas também não vingou. Então a parada valeu mesmo para um desjejum fortificante que nos seguraria de pé até o Paraná. Aproveitamos ali para recarregar a câmera de vídeos no sistema de som do Aurélio. Aliás essa foi talvez a marca registrada da viagem toda: a música. Era só passar pela PX do Aurélio para ouvir toda uma nova geração do blues rock - guitarristas exímios e seus vozeirões no vento da pista.


Tomamos mais meia hora de canseira do Animal Taylor, que só foi perdoado porque o cara chegou desajustado deixando cair a própria moto no canteiro do posto. A sua Vespa PX200 tem todo um visual de uma vaca. Personalização exclusiva!?!?!?! Abastecemos e seguimos, os três, na caça aos amigos do interior, que nos aguardava cem quilômetros adiante. O engarrafamento nos complicava muito dali em diante. Carros e caminhões parados em cima de um asfalto horrível fazia daquele princípio de viagem um rally para os fortes. Cortávamos o vento pelo corredor da pista, driblando as tartarugas que dividem as faixas. E nos revezávamos na ponta, na média dos 70km/h, ao estilo motoboy. Então nos atiramos pista abaixo, driblando o azar do dia, no ritmo do rally rodoviário mais frenético que já encarei nessa vida de errante.

video

Foram 110 kms de lentidão, passando por São Lourenço da Serra e Juquitiba. O posto aonde paramos recebia naquela hora todo tipo de passante: ônibus de turismo, roceiros, banhistas, motociclistas, famílias, etc. Rodamos por mais duas horas até Juquiá, aonde estavam o Barbie, Uitamar e Tatu. Para quem ainda não se conhecia, satisfações. Uma outra etapa começaria dali em diante, sob intenso sol, já sem trânsito. O destino daquele povo todo era o litoral sul-paulista, por estradas da redondeza. O nosso, a Europa brasileira.


De Campinas, Barbie nos escreve, contando da primeira etapa da viagem que o Uitamar e ele fizeram até Juquiá:

"Marquei o encontro com o Uitamar no posto Ipiranga da Rod.Santos Dumont as 5:00, cheguei 4:45 e ele 4:55 . Após darmos a primeira abastecida da viagem  partimos para um breve café e caímos na madrugada rumo à Regis, onde encontraríamos nossos amigos da SP. A ida foi ótima , madrugada quente e movimentada devido ao tráfego do feriadão. Já em Piedade recebemos os primeiros raios do sol que seria escaldante por todo o dia. De Piedade a Juquiá descemos em ritmo de rally, contornando as curvas da serra em alto giro , curtindo a paisagem e a musica emitida pelos motores das PX além das buzinadas do Uitamar alegrando a estrada. Em Juquiá ao pé da Regis paramos no primeiro posto de abastecimento, ansiosos pela chegada dos amigos que tardou 2 horas, nos deixando muito preocupados pois perdemos os contatos além de estarmos numa área sem cobertura para ligações celulares. Parei um motociclista e perguntei à ele sobre o movimento ele me confortou dizendo que os outros integrantes da SP estavam à caminho,foi nesse meio tempo que encostou a pick-up do Tatu (Campinas) com sua Lambretta LI, e na sequencia os outros 03 da SP, breves relatos, fotos e abraços, estávamos todos unidos rumo à SC fervendo o asfalto".

SP, em 18 de fevereiro de 2012.

6 comentários:

Scooteria Paulista disse...

Fotos 1 e 6 e vídeo de Animal Taylor.
Fotos 2, 4 e 5 de Marcio Fidelis.
Foto 3 de Aurélio Martimbianco.

Anônimo disse...

hahahahaha esse vídeo ficou fantástico. ele que é o animal taylor?

PJ

Animal Taylor disse...

Se eu não chegar atrasado, não sou eu. rs
Mals ae galera! =D

Sim, sou eu no video! =)

Animal Taylor disse...

É mesmo.... nem lembrava que eu deixei a Mimosa tombar logo que cheguei! ... pelo menos caiu na grama!
Depois, lá em Indaial-SC eu fiz o serviço direito: Derrubei-a de novo e desta vez quebrou o manete do freio e soltou o retrovisor. D=

Leo_Dueñas disse...

Animal Taylor, umas das grandes revelações do evento pra mim. Uma união perfeita entre subversão e Vespa, além de um papo muito divertido. Já publiquei no meu blog, mas segue aqui o link pra minha foto predileta: http://1.bp.blogspot.com/-x0_78vdvaAg/T0ldE4zTz5I/AAAAAAAABTQ/tho6v5ImZwc/s1600/DSC_2340.JPG

Saudações scooteristas,
Leo Dueñas

Animal Taylor disse...

AHAHHAAHHAAHHA

Caçarola mann... assim fico encabulado.
rs

Valeu pelo post =)