Últimas Imagens

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

II RADUNO DA PRIMAVERA (A Volta)

... Todos distribuidos pela ponta da praia de Santos num raio de 100 metros, de bico para a balsa. O apogeu do Raduno finalmente chegava: a travessia pelas águas até o Guarujá.


Depois da espera pelos últimos integrantes da frota finalmente posicionamos as nossas motonetas na barca, a Arca de Noé do Raduno da Primavera. Ali a Rose/Reginaldo com o China puxaram um "parabéns pra você", só que pra mim. Eu tentei fugir, mas eles sabiam a data, não tive como. Um momento especial e inesquecível para todo o sempre em minha vida. De dentro dos carros as pessoas sorriam e tiravam fotos com seu celulares. E eis que o Emerson me solta a frase do momento: "se essa balsa afundar acabou a Scooteria" kkkkkkk... e na sequência outra genial: "se a balsa afundar pode me levar mas salvem a minha Vespa"... kkkkkk.


IRMÃOS FAVERO NO APOIO À LAMBRETTA DE LIMEIRA

Depois da travessia seguimos rumo São Paulo, repetindo o trajeto da volta da edição 2010 do evento. Uns esticavam e outro seguravam, e de tão perdidos das vistas ficaram, que só os encontrei no telefone e na internet no dia seguinte. A maioria de nós procuramos manter a formação rodoviária, e seguimos na média dos 75km/h. Depois de 7 kms rodados a Lambretta LI do André Luiz encostou. Alguns prisioneiros da roda traseira estavam soltos. Falta de ruela? Falta de aperto? Tem que ver isso daí!! André preferiu voltar rebocado com a sua frota de apoio.


Durante a subida enfrentamos um trânsito quilométrico em meio aos corredores. E a chuva prevista pelos meteorologistas tardou mas não falhou. No acostamento enquanto a turma se encapava combinamos uma estratégia de segurança que finalmente funcionou: sob a chuva todos deverão andar juntos feito um caminhão na pista, em bloco, e sem ultrapassagens. Isso se sucedeu com eficiência total pelos 25kms adiante, até o Rancho das Pamonhas, a parada pro lanchinho... rs. 

E na reta final, com pista livre, enrolamos o cabo até o começo de Diadema. Ali nos despedimos sob uma rajada de rojões. Não era para nós, era o Corinthians. E em meio à festança das ruas cada qual voltou para o seu lar. E de fato um passeio só acaba quando todas as motonetas chegam em casa. Portanto finalizo essa história com a boa notícia: Lambretta LI do Tatu que havia sido retida em São Vicente já está nas ruas de Campinas. Com a palavra o próprio: "salve salve scooteristas raduneiros, o Lambrão já esta na mão, causou frisson lá no pátio de São Vicente, ficou em local previlegiado debaixo de uma cobertura pra não tomar sereno, o gerente do pátio quis comprar,e a tiazinha da faxina tirou fotos montada nela pra mostrar pros netos. Obrigado a todos e espero vcs aqui na roça dia 11/dez" (Tatu Albertini).


Um comentário:

Scooteria Paulista disse...

Fotos por Marcio Fidelis