Últimas Imagens

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Jundiaí - São Paulo (A Volta)

No último 28 de agosto pegamos a estrada num grande comboio até Jundiaí, com destino ao VIII Encontro de Lambrettas, Vespas e Motos Antigas. Durante todos esses anos o Reginaldo e a Rose (Free Willy) puxaram o lado paulistano para esse evento, e nesse não poderia ser diferente. Respeitamos a tradição desse comboio e dividimos a estrada com algumas motos e scooters modernas. E aí 25 virou 50, e a cidade parou "pra ver a banda passar". Contamos toda a história aqui no blog, e agora vamos falar da volta, quando éramos praticamente nós, dois-tempistas.


Por volta das 16h deixamos o VIII Encontro de Lambrettas, Vespas e Motos Antigas de Jundiaí. A Rosa e o Mário já estavam na estrada, o Rodrigo Sonnesso, o Emerson Mestrinelli, o 69 Vespa Clube, o Leo, Rafael, Daniel, Alex e mais uma turma que agora me foge à memória agora. Uma parada num posto e já se sente a calmaria do interior paulista

Depois de 10 kms de estrada, com o grupo esticado na pista direita, mais um pneu furou. Era a Vespa PX200 do Aurélio que havia encostado. Paramos na sequência: Antônio e a Beth, o Reginaldo e a Rose, a Vanessa e o Alessandro, e o Razec com seu utilitário de apoio. A maioria do pessoal estava à frente quando isso aconteceu, e não havia como retornar se não fosse pela contra-mão. O Reginaldo e a Rose seguiram em frente para o caso de precisarem prestar alguma assistência ao grupo adiante. E nós, após a troca do pneu seguimos adiante na mesma tocada. O fim de tarde estava maravilhoso e o sol daria seu ar da graça até as 18h.


Feita a troca do pneumático, rodamos 20 kms na média pulsante dos 80km/h. Foi quando o motor da PX da Vanessa travou. Eu estava logo atrás, e vi sua Vespa balançar pra esquerda, pra direita, pra esquerda novamente, e Vanessa, com muita habilidade e reflexo, conduziu a máquina para o acostamento. Nessas ocasiões, quando o motor ameaça travar, a primeira coisa a se fazer é puxar a embreagem e sair da pista. E foi o que ela fez! E ali na beira da estrada foi quando conheci de fato o destemido casal. Ela anda de Vespa com frequência na cidade de São Paulo mas ainda não tinha experimentado um giro rodoviário. Motor travado muitas vezes é por falta de óleo. Por sorte eu tinha ainda um restinhono baú e virei 100ml's. Esperamos alguns minutos, e então ouvimos o ronco grave novamente.




Sugeri ao Alessandro que voltasse na minha garupa pra São Paulo. Assim a gente aliviaria o peso que o motor da Vanessa teria que puxar naquela condição duvidosa. E seguimos tranquilos, com toda a atenção do mundo, e no limite dos 70km/h. Eis que a imprudência do motorista de um carro qualquer vindo do acostamento quase nos levou ao chão. Alcancei o motorista e tratei de dizer-lhe o que era preciso ser dito... E foi assim que entramos na Rodovia dos Bandeirantes, acenando de longe para o Reginaldo/Rose, Anderson e o pessoal que esperava pela gente na continuação da Anhanguera. Não havia como voltar para a divisão das pistas, nem nós, nem eles. Mas enfim, todos seguimos viagem sabendo que até aquele momento o grupo estava bem. Entramos em São Paulo e nos despedimos pelo caminho da extensa Marginal Tietê. O Antônio Guerra e a Beth ainda teriam mais uns 50 kms de estrada até Mogi das Cruzes. 

Cada um pegou o caminho de casa com mais um dever cumprido e uma maravilhosa sensação de espírito renovado. Esse foi o dia em que o Pretinho, depois de anos a fio, voltou pra estrada com sua Vespa. Foi o dia do batismo rodoviário do Anderson (Lambretta LI) e da Vanessa (Vespa PX). E talvez de mais algum amigo que me foge à memória. Agradeço e parabenizo a todos os scooteristas clássicos que juntos fizeram desse domingo um dia inesquecível. A Vanessa prometeu aquele churrasco (ou pizza) no apartamento dela, e estamos aqui no aguardo... hehehehe

OBS: O relato dessa viagem foi escrita por mim Marcio Fidelis, conforme minhas lembranças e interpretações, estando totalmente sujeito à alteração conforme a veridicidade reclamada. Caso você tenha alguma lembrança a mais, ou um texto em mente, mande pro nosso email que nós publicaremos aqui no blog - scooteriapaulista@gmail.com

Um comentário:

Scooteria Paulista disse...

Fotos de Marcio Fidelis na câmera do Anderson Ballet.