Últimas Imagens

domingo, 9 de outubro de 2011

Destino Jundiaí 2011

No último 28 de agosto pegamos a estrada num grande comboio até Jundiaí, com destino ao VIII Encontro de Lambrettas, Vespas e Motos Antigas. Durante todos esses anos o Reginaldo e a Rose (Free Willy) puxaram o lado paulistano para esse evento, e nesse não poderia ser diferente. Respeitamos a tradição desse comboio e dividimos a estrada com algumas motos e scooters modernas. E aí 25 virou 50, e a cidade parou "pra ver a banda passar"...


Saímos do Largo do Arouche por volta das 9h45, e em vinte minutos já estávamos na parada geral do início da Rodovia Anhanguera. Abastecidos, calibrados e cafeinados, ligamos os motores. Bem, um deles não ligou. Dez metros abaixo o Anderson encostou sua Lambretta LI. Paramos no meio-fio. E entre pitacos e sugestões, o mecânico Pretinho deu uma mão e a Lambretta esfumaçou. Voltamos...



Pretinho, Reginaldo e a Rose se desdobravam em seis para cuidarem do grande comboio. Procurei ajudar também, assim como o João e diversos de nós. Depois de 20 kms de viagem alguém passou ao meu lado e disse que havia gente parada lá atrás. Deitei o cabelo então até alcançar o ponta do grupo. Pedi a todos os scooteristas que esperassem nosso companheiro de classe. Foi aí que conheci o Leo, o Daniel e o Rafael, três vespistas destemidos da capital, com suas guerreiras PX200. E o acostamento ficou bonito com tantas motonetas.

Nisso veio o Alex, o cara que cruzou a sulamérica até o Chile com sua PX200. Depois a Vanessa em seu dia de batismo com o Alessandro. E olha que barato, dessa vez tivemos uma bela Lambretta TV175 (Série 1), relíquia essa que conheci mais de perto a alguns meses numa oficina em que trabalhei. E ficamos ali à beira-pista proseando até chegar o Pretinho com sua esposa e o Antônio com a Beth. Fora um pneu furado que fez a Beth pular da garupa da PX200. A ferrugem acumulada entre os aros da roda traseira afetou a câmara de ar por três vezes naquele dia. Pretinho parou pra ajudar o casal, e a Beth seguiu então na garupa do Sena até Jundiaí.


Sempre tento imaginar como seria a expressão dos cães se tivessem rosto de gente. E acho que a expressão de contentamento de um cachorro quando come um filé ou sai pra passear com o dono deve ser muito parecida com aquela que a gente mostra no rosto quando pegamos a estrada em grupo, e se olha entre os capacetes com o vento na cara e a turma em volta. O Alberto, o Sonesso, o Reginaldo com a Rose, o Luis, o Cristian, o Marcelo, o Haine, a Rosa, o Mário, o Anderson, o Roberto, o Marcelo, o Emerson, o Antonio com a Beth, o Pretinho, a Vanessa, o Leonardo com a Claudia, o Leo, o Rafael, o Daniel, o Alex, o Aurélio, o Agnaldo, o pessoal do 69 Vespa Clube, o lusitano Antonio, eu (Marcio Fidelis)  etc etc etc. Os amigos e colegas da classe juntos fazem a festa do ano, e a presença das outras motos orientais nesse momento em nada interferiram na nossa alegria em compartilhar da mesma estrada. Estávamos em cerca de 25 motores 2 Tempos na Anhanguera.
Em Jundiaí a notícia que se espalhou por entre os capacetes foi que um companheiro havia ficado pra trás, e que o carro-guincho de apoio, do Razec (11 9475-2945) havia voltado para socorrê-lo. Paramos todos em um posto de gasolina a dois quilômetros do evento. Nisso vi passar do outro lado o nosso amigo campinense Flavio, que havia visitado o evento e voltava para casa. Esperamos ali por cerca de meia hora tentando fugir do sol das 11h30. Depois de algum tempo eis que chega nosso amigo Marcelo com Valery. Tudo pronto pra seguir em frente? Não. O Pretinho saiu num pulo de dentro do restaurante do posto com a notícia de que a Beth havia ficado presa no banheiro. Os funcionários não sabiam o que fazer. A gente menos ainda. E ela lá dentro. A turma toda já estava a postos e com os motores ligados sob o sol das 11h30. Sem pensar duas vezes corri até lá e estourei a porta num chute. Agora sim, vamos em frente. Separamos as motonetas clássicas de um lado e as motos e scooter modernas do outro. E dessa forma adentramos o evento com muita fumaça e um barulho infernal.

E pelo quarto ano consecutivo parabenizo ao Clube da Lambretta de Jundiaí por mais um belo encontro da classe e à Free Willy Moto Peças pelo preparo de mais uma viagem fantástica.

5 comentários:

Scooteria Paulista disse...

Foto 1, 3, 7 e 12 da Rose e Reginaldo
Foto 2, 6, 8, 9, 10, de Marcio Fidelis com a câmera do Anderson.
Fotos 4, Leonardo Russo e Claudia.
Fotos 5 , 11, 13 de Emerson Mestrinelli

Anderson disse...

Belo passeio! Parabéns a todos.
Abraços
A.

Free Willy disse...

Sensacional!!

Abraços,


Rose/Reginaldo

-dac7 disse...

Como posso adquirir o Livro do Aventureiro?

Anônimo disse...

Olá, escreva para scooteriapaulista@gmail.com

te reservarei um e dependendo do local te entrego em mãos...

um abraço

Marcio Fidelis