Últimas Imagens

sábado, 2 de julho de 2011

Da Viagem ao Encontro Paulista de Águas de Lindóia #1

No último feriadão aconteceu o XVI Encontro Paulista de Autos Antigos de Águas de Lindóia, o maior encontro do gênero da América Latina. E meio que na última hora resolvemos formar um comboio para esse encontro, puxado dessa vez por Daniel Isbu e Érica, viajantes das estradas regionais. De imediato tratei com o Walter em Jacareí e com o Flavio em Campinas, que puxariam uma frente local. E assim se sucedeu uma das viagens mais legais de tantas que já realizamos.


Na quinta-feira de 23 de junho a partir das 7h o primeiro grupo se reuniu no Largo do Arouche, contando aqui o seu Artur, o Lowercy e a Alda, o Rodrigo Sonesso, o Vitor Hugo e eu, Fidelis. Mais dois vespistas, o Much e o Isbu, nos encontraria no Belenzinho. Conhecemos a família da Érica, que nos acompanharam na maior parte da viagem como carro de apoio. Liguei para o Nei, que apesar do atraso estava disposto a botar a sua PX na estrada depois de dois ou três anos. Decidiu então trocar a lâmpada da Vespa e correr ao nosso alcance na Rodovia Fernão Dias. E assim se sucedeu. (Mais tarde ele nos alcançaria). A Marginal Tietê estava abarrotada de veículos saindo pelo ladrão. Na pista o comboio adquiriu dois comportamentos. Em dados momentos agrupávamos à direita, fazendo de nós um enxame intransponível de sete Vespas imponentes. Em outras situações, o Daniel ou o seu Artur puxavam um pouco mais na frente, fazendo abrir o grupo pela extensão de 500 a 700 metros, aumentando a velocidade da tocada. Na primeira parada (do pedágio) acertamos isso. Pelo rádio contatei o Walter, que já nos esperava no cruzamento das Rodovias Fernão Dias com a Dom Pedro I, ao lado do Eder e do Edgar, todos vindo de Jacareí. O Flávio já estava a caminho. Faltava-nos ainda as notícias do Nei, no entanto faltava sinal de celular também. Esperanças de que estivesse em alto giro.

Seguimos viagem então, cortando lentamente os veículos parados no trânsito após o pedágio. Em cerca de meia hora chegaríamos ao local combinado, o cruzamento das rodovias, aonde reunimos. Ali nos aguardava os meliantes Flavio, Walter, Eder e Edgar. Apresentados os ainda desconhecidos, cumprimentados os amigos, puxamos em ritmo festivo o grupo por cerca de dez minutos até o primeiro posto avistado, afim de esperar pelo Nei. Mal havíamos encostado nas bombas e eis que chega a milhão o nosso amigo em sua PX200 guerreira. A frota estava completa, éramos 12 Vespas dominando a pista. O respeito dos caminhoneiros e motoristas nesse caso é muito maior. Éramos então: Artur, Fidelis, Lowercy e Alda, Flavio, Rodrigo, Vitor, Walter, Isbu & Érica, Much, Nei, Eder e Edgar.




Edgar, Much, Artur e Isbu

Abastecidos e hidratados tocamos adiante, na média dos 80km/h. Notadamente quase todos se vigiavam, primando pela proteção comum. Esse foi o procedimento de sucesso da ida. O sol se manifestava junto com o vento, tornando o passeio mais agradável ainda. De dentro dos carros as crianças acenavam, alguns tiravam fotos, e os motociclistas inevitavelmente buzinavam nas ultrapassagens. E a viagem seguiu tranquila. Passamos por dentro de Bragança Paulista até a saída pela Rod. Pedro Astenori Marigliani, caminho por Pinhalzinho e Socorro. Dali em diante a estrada se estreita e o comboio se aperta. Da garupa da PX do Isbu, a Érica fotografava as cenas rodoviárias. Nei fez o vídeo abaixo - "Scooteristas da Montanha" -, e o Walter esticava para aplicar seu método Vespaparazzi de flagrante rodoviário.


Durante a viagem recebi o chamado do Uitamar, que chegara cedo ao evento, aguardando-nos ansioso, mas dessa vez sem a sua Super Super 200. Entre Pinhalzinho e Socorro repassei-lhe pelo rádio a nossa posição. Mal sabia a gente que ele estava preparando um lugar especial para apartarmos as nossas Vespas, diante de um bar (com promoção garantida para scooteristas)... A cerca de 25kms de Águas de Lindóia fizemos a última parada, em tempo, pois ali não havia pista dupla, e nós literalmente estávamos criando um rabo de um quilômetro de engarrafamento de carros esportivos. No posto completamos tanques, fizemos fotos e trocamos as últimas informações, alertando a todos para a foto oficial da viagem a ser feita no portal de Águas de Lindóia. E com pista tranquila puxamos o grupo até o portal, quando já passava do meio-dia. Dali até o evento mal precisamos das quatro marchas. Emparelhamos nossas 12 Vespas na esquina da praça das exposições, no fervo, e ali elas ficariam, por cerca de três horas. Três minutos depois chegava o Uitamar, de motocicleta, (uma afronta à classe), só perdoado por tratar-se de um honorário herói da Scooteria Paulista no caminho do Curitiba em Vespa 2010... hehehehe. Com um local garantido para todas as Vespas, preferimos não tirá-las dali afim de tentar espaço diante do bar. Puro engano, mas na dúvida as vezes é melhor não arriscar o “melhor de três”. E enfim chegávamos ao evento, famintos e satisfeitos da viagem.



3 comentários:

Anônimo disse...

Foto 01 da Erica
Foto 2 4 5 6 7 8 e 9 de Walter Vespaparazzi.
Foto 3 e relatos de Marcio Fidelis

Leo_Dueñas disse...

E depois dessa estrada deliciosa, deu gana de ver carros antigos estacionados??

Parabéns aos 12 scooteristas presentes e rodantes!

Abraço,
Leo
http://motonetaseafins.blogspot.com/

Anônimo disse...

hehehe pra falar a verdade, depois de uma viagem dessas não tem carro clássico que em inspiração supere a sensação da rodovia...

Marcio Fidelis