Últimas Imagens

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Retrospectiva 2010

Pois é amigos, chegamos ao fim de 2010, um ano e tanto. Depois daquela retrospectiva na Lapa no último 19/12, registraremos aqui os melhores momentos desse ano que de fato foi próspero e farto para todos nós.

Inciamos o ano debaixo de chuva, homenageando a cidade São Paulo com o II São Anivespaulo, num giro entre o centro e as velhas ruas da Mooca. Nessa tarde dois scooteristas se conheceram e uniram forças para fundar uma oficina de personalizações de Vespas e Lambrettas, firmando em São Paulo uma subcultura agressiva e de muita classe surgida na Inglaterra nos anos 70 chamada Scooter Boys. A oficina hoje é nossa parceira direta ao lado da Free Willy.

Em 21 de abril fundamos a Scooteria Paulista, com a colaboração e o apoio de diversas pessoas que confiaram nesse inédito e ousado trabalho que me propus a realizar em nosso Estado. A inauguração reuniu 13 motonetas clássicas, dentre elas os modelos BR Tork, Xispa, PX200, Originale 150, Super 150 e M3, além de dois dos principais restauradores do Brasil. Uma tarde de desconfiança e espectativa, e que marcou o início de um conceito diferente sobre o scooterismo em SP.


Duas semanas depois fizemos entre amigos uma rápida visita ao Encontro de Lambrettas da Virada Cultural. À parte da exposição das quatro motonetas de época, expusemos as nossas scooters cheias de personalidade e alta quilometragem. Dali em diante já estava claro que nós seríamos uma 'encrenca' que tinha vindo pra ficar. hauahuahauha



No início de julho participamos do VII Encontro de Motos & Cia Classics, o maior encontro de motocicletas do Brasil, realizado no Pateo do Colégio, em São Paulo. Diversas motonetas de época se misturaram à paisagem das motocicletas de mais variadas épocas e estilos. O China e o Oliver, dois broncos da Z/L se recusaram a entrar na muvuca e nos convenceram a botar a banca do lado de fora, do outro lado da rua. O evento foi interessante e reuniu cerca de 60 motonetas em todo o dia.


Na semana seguinte participamos do Revolução Kustom, na Lapa, representando a oficina Scooterboys. Em meio aos Hot Rods, Rat Rods, clássicos, cultura custom e música rockabilly nos sentimos 'em casa' naquela tarde de outono.


O mês de julho estava a mil. Na metade do mês realizamos a nossa primeira viagem do ano, e dessa vez com novos personagens. Na manhã de domingo pegamos a estrada: Arthur Gildo, Alfredo, Celsinho (Salto), e eu (Fidelis), ao Encontro de Lambrettas, Vespas, Bicicletas e Carros Antigos de Jaguariúna. Foi em Jaguariúna que conhecemos o Uitamar, vindo de Americana, sujeito notável que se tornou um querido parceiro a partir de então.


Então no final de agosto puxamos uma turma das boas pela Anhanguera rumo ao VII Encontro de Lambrettas e Vespas de Jundiaí. O pioneiro desse comboio é o Reginaldo/Rose, e nesse ano somou-se ao grupo da Free Willy os amigos da Scooteria, da ScooterBoys e do 69 Vespa Clube. O evento foi bacana e reuniu cerca de 70 motonetas clássicas, o menor número em anos. Ainda assim não deixando de ser o maior encontro brasileiro da classe.


No início de setembro enfim partimos para o tão esperado Curitiba em Vespa 2010, um encontro que organizamos em rede entre diversos Estados, reunindo proprietários de motonetas e scooteristas de SP, RS, PR, SC e RJ, além de um colombiano. Em cinco Vespas contabilizamos um total de 1100kms em 3 dias, entre as viagens de ida, de volta, e o evento em si. A viagem de ida foi heróica, e teve amortecedor quebrado, pneus furados e viagem noturna, contabilizando o total de 16 horas de estrada, sem carro de apoio e sem frescuras de estrada. Esse foi o dia D do ano. Na foto: Uitamar, Marmirolli, Emerson, Lovercy/Alda, Fidelis e Arthur.


Era início de junho quando falei no Twitter da viagem de Juan Montoya nessa PX150 da RAF pela Sudamérica. No mês seguinte convidei-o a participar do Curitiba em Vespa. Nisso a sua viagem progredia: Bolívia, Paraguay, Chile, Argentina, Uruguay. Então ele veio com a difícil missão de cruzar o Brasil de sul a norte. Participou do Curitiba em Vespa e passou boas semanas depois por lá. Em São Paulo viveu por um mês e meio na verdadeira frênesi urbana conosco, com a ajuda da Scooteria, da Scooterboys e do curitibano Vitor, quem lhe deu pouso por esse tempo. Depois disso Juan seguiu para o Rio, aonde foi acolhido pelo vespista Leo Dueñas. E então subiu para Manaus, aonde bebera suas últimas horas de Brasil com um casal de amigos meus que atualmente vive lá. O Juan chegou bem, e a sua passagem também marcou o nosso ano por aqui.

No dia 21 de novembro realizamos ao lado da Free Willy o I Raduno da Primavera. O passeio foi incomum pelo seu purismo, pelo conceito e por agregar toda a sorte de pilotos. A grande marca do raduno foi o espírito de pertencimento e o Do It Yourself espontâneo e instintivo, nossa característica comum. O ápice disso tudo foi a travessia das 21 motonetas pela balsa Santos-Guarujá, apertando entre carros e motoboys os modelos PX200, Originale 150, M3 e duas Lambrettas LI (150cc e 175cc). Esse encontro de estradas reuniu scooteristas de São Paulo, São Bernardo, São Caetano, Santo André, Diadema, Cotia, São José dos Campos, Taboão da Serra, Santos e Guarujá.


E 2010 findou em Jundiaí novamente, com a tradicional despedida anual puxada pela Free Willy. Dessa vez no Spiandorello a bagunça foi das boas e tivemos ali uma dúzia de scooters clássicas, reunindo amigos de São Paulo, Cotia, Americana, Jundiaí, Salto e São José dos Campos.


É impossível descrever tantos detalhes, lugares, palavras, pessoas, o conhecimento compartilhado e o nível de amizade que construímos em 2010. A Scooteria Paulista se tornou com muito trabalho e humanismo uma divulgadora diária de cultura scooter, um memorial dos veteranos de SP e sobretudo uma rede que aproxima os verdadeiros scooteristas do Estado de São Paulo, aqueles que pilotam, que prestigiam a classe e a cultura scooter. Aqueles que têm nas motonetas e na bandeira das treze listras a sua identidade em comum. Parabéns a todos nós que aqui estivemos juntos em 2010.

A TODOS OS SCOOTERISTAS DO ESTADO DE SÃO PAULO, E DE TODO O MUNDO, UM FELIZ ANO NOVO. QUE A MARCA DE 2011 SEJA A UNIÃO, A INFORMAÇÃO E O GIRO DOS VELOCÍMETROS.

(Marcio Fidelis ,30 de dezembro de 2010)

Um comentário:

Scooteria Paulista disse...

Não tenho aqui comigo o registro das fotos, então desculpe ao autor de alguma delas se não citei-o. Um feliz 2011 nobres amigos.