Últimas Imagens

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

R.I.P. ELÍDIO GILBERTO SAM

Com profundo pesar informamos que o nosso amigo da Baixada Santista nos deixou, vitimado por um câncer. Raduneiro, participou de quase todos, além do Nacional de São Paulo e reuniões na Sede com essa inconfundível Vespa M4 1961. Seu sorriso e boa vontade marcaram nossos anos dois-tempistas para sempre.Descanse em paz Elidio, e muito obrigado por todo o seu apoio.



quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

IX ENCONTRO NACIONAL / DIVINÓPOLIS - MG

Nesse carnaval os amigos do Vespa Clube Divinópolis recebe o Brasil em Vespas, em Lambrettas e afins, mantendo a tradição do principal encontro que liga os clubes e scooteristas do Brasil. São quatro dias longe de casa entre os mais ativos dois-tempistas do país. 


O sábado será de recepção, e para nós, de viagem intensa. São 550 quilômetros da nossa Sede até o evento. 
O domingo, como sempre, é o principal dia, com apresentação dos clubes, scooteristas, viajantes, com passeios, almoço, souvenires, e festa à noite, onde possivelmente será votado o destino da décima edição do grande encontro. 
Na segunda tem passeio cedo e almoço, e então iniciaremos a nossa viagem de volta à SP, sem pressa, com intenções turísticas e culturais pelo caminho. 

Nos vemos lá!

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

YELLOW CAP + SOMBRERO CLUB NA SP

A atípica quinta-feira de 01 de fevereiro foi fantástica em nossa Sede. Duas bandas internacionais que de passagem pelo Brasil deram tudo de si na matinê de casa cheia, com a discotecagem do quilometrado Luis "Alemão" (Boss Sounds), e presenças ilustres. Como de praxe, fica o registro.


As 19h abrimos a casa, e como sempre fazemos, apresentando alguma novidade aos visitantes. Dessa vez a boa foi um detalhe no sistema de som e um up na iluminação do salão. Alemão foi o primeiro a chegar, com suas pedradas dos anos 80, 90 e 2000 do ska mundial. Alemão é "das antigas", e tem muito a ensinar aos jovens apreciadores da música jamaicana, a humildade e disposição são duas notáveis qualidades desse monstro, e a gente vê isso e reverencia pessoas como ele de todo o coração. Aos poucos a casa enchia, o pessoal vinha direto do trabalho, da lida, esperando pelos salgados do Wendel Barros, que deu um atrasada por motivos de força maior, mas chegou (as 20h30) com os pastéis assados de carne servidos pela esposa Tássia. Nas sobremesas Yumi Yumi Goodies trazia brownies, pães de mel, e as bolachinhas temáticas da two-tone feitas especialmente para a ocasião. A primeira banda a chegar foi o Yellow Cap, com oito integrantes. Foi tempo de comprimentos e uma breja e já estavam no "palco" passando o som para minutos depois "quebrarem" tudo com o apetite mais do que esperado de uma banda que completa agora 20 anos de carreira, honrando-nos com o show inaugural dessa tour. Tocaram por uma hora, temas antigos e recentes e homenagens ao país. Show contagiante e marcado pela empolgante presença de palco do vocalista Kay, que já compreende a língua portuguesa muito bem - essa é a quinta passagem da banda pelo Brasil. Às 22h o Sombrero Club "Project" toma a vez e soa a camisa com esse time misto de brasileiros liderados pelo argentino Mariano Goldenstein. E que show! A banda era composta por cinco músicos, e sem naipe de metais dessa vez,  e com um teclado matador. Tocaram sons da segunda metade da história da banda e alguns "hits" do estilo, dentre eles Lip Up Fatty, dos reis Bad Manners, com participação especial do Axl, vocalista do Skamoondongos. Que bagunça da boa, do jeito que tem que ser! Às 23h findamos o som e então foi só manter a festa em fogo baixo até as 1h30 da manhã, quando os últimos visitantes se despediam.



Fica aqui o nosso agradecimento à Staff da SP, aos scooteristas, ao Yellow Cap e ao Sombrero Club, ao Alemão Boss e sobretudo a todos os visitantes que saíram da rotina para fazer "dar certo" esse evento de apoio aos gringos.

Foto por Alemão Boss Sounds
Vídeo e relato por Fidelis

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

YELLOW CAP (ALEMANHA) x SOMBRERO CLUB (ARGENTINA) NA SP

Na quinta-feira de 01 de Fevereiro a SP libera as "skadarias" da Sede para uma gig internacional deveras especial. A big band YELLOW CAP (Alemanha) volta ao Brasil nessa turnê comemorativa de 20 anos de estrada. Já o SOMBRERO CLUB (Argentina), uma das mais renomadas bandas de ska da América Latina vem com seu frontman Mariano Goldenstein acompanhado de músicos de consagrados conjuntos do estilo do ABC paulista. Totalmente imperdível! 


As bandas tocam entre 20h30 e 23h. Antes, no intervalo e depois teremos o DJ Alemão (Boss Sounds - Tudo sobre Ska, Reggae & Rocksteady). Brejas especiais e premiuns à módicos preços. Salgados por Wendel Barros Cólera. Sobremesas Yumi Yumi Goodies.

Entrada: 15,00 na porta. Rua Lituânia 52, Moóca.

*Aberto a todos os públicos e veículos.
*Gravação de um documentário sobre a música jamaicana como manifestação de paz pelo mundo.

Arte por Leonardo Russo

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

X SÃO ANIVESPAULO

Na quinta-feira de 25 de Janeiro e São Paulo, pela décima vez seguida, foi homenageada pela categoria dois-tempista. Quase 80 motonetas clássicas participaram do São Anivespaulo, o encontro mais tradicional da Scooteria Paulista. E como de costume, a cada ano reverenciamos algum elemento histórico, identitário e cultural da cidade. Então dessa vez o tema foi bem claro: "São Paulo de Todos os Povos". Abaixo um breve registro do evento.


9h30 da manhã a Concentração já contava com mais de cinquenta scooters clássicas. Estávamos no bairro da Vila Anastácio, zona oeste, diante da extinta fábrica da Lambretta do Brasil, numa rua sem saída porém bastante movimentada pelo fluxo de caminhões de logística. O galpão da Lambretta estava lá, e funciona agora uma empresa de armazenagem e distribuição de mercadorias. Na frota contamos com as Lambrettas modelos LD e LI, Vespas modelos M4, Super 150 e "200", Rally 200, PX200 e Originale 150, também os modelos indianos Bajaj Classic 150 e Tuk-Tuk Bajaj/Kasinski. O blog Lambretta Brasil tratou de convidar alguns ex-funcionários da fábrica, e dois deles apareceram com memórias e documentos, o seu Roberto e o seu Antonio, que dada hora deram uma palavra-testemunho aos participantes, com curiosos adendos do sr.Laercio e do sr.Artur, que na época prestaram algum serviço à indústria.


Era tanta gente que eu passaria horas meditando para recordar de todos, então não me levem a mal mas dessa vez vou destacar os membros da nossa distinta sociedade dois-tempista, voluntários que fazem a máquina funcionar nesse clube: Leonardo Russo, Victor Hugo, Gabriel Corazzin, Renato Delia, Reginaldo Silva e Rose, China, Artur Biscaia, Rodrigo Sonnesso, Rafael Assef, Diogo Reis, Adriano Stofaleti e Lara, Afonso Antunes, Marcelo Santana, Edelcio Pasqualin, Diego Pontes, Vanessa Amado, Samuel Charelli, Carlos Volpato, Gabriel Forte, Fernando Pastorelli, Diogo Vinícius, Gu e Caco Parise. Somado ao Koré e Cris e Kadu, que preparavam as coisas na Sede, aproveito para agradecer a essa equipe exemplar! 



Às 10h30 ligamos os quase oitenta motorinos e partimos pela Lapa rumo à Barra Funda e Centro antigo da cidad, controlando a coisa pelos faróis, ajustando o comboio às situações do tráfego geral. E pouco a pouco cruzávamos a grande cidade numa grande sinfonia de bielas e buzinas. Houvera tantos detalhes a ser contado, mas o tempo aqui não é mais o mesmo, então pularemos os episódios e vamos aos finalmentes. Chegamos ao Museu da Imigração, na Mooca, apenas à cunho simbólico, para lembrar a todos que praticamente a totalidade de nós fomos, em algum momento, imigrantes, migrantes, passageiros e nômades que chegou nessa terra trazendo nada além de suas roupas, marcas de sofrência da terra que deixara para trás, e alguma esperança em recomeçar suas vidas numa nova sociedade em formação.

Abaixo o vídeo do Caco Parise em 360 graus:



As 13h30 chegávamos em nossa Sede, no alto da Mooca, para um almoço geral com música, geladas e prosa. Um dia maravilhoso que se completava a cada visitante que chegava embasbacado com a beleza de tantas motos históricas reunidas. O clima estava ótimo, a equipe trabalhando com gosto, o pessoal do Acarajazz servindo seus pratos bahianos maravilhosos, e China e Koré revezando na discotecagem de sons do mundo, beirando o rock que fazemos.


Mais uma vez nos desculpamos com todos pela ausência de seus nomes nos registros, mas o vídeo e as fotos não mentem. Vocês fizeram o X São Anivespaulo acontecer!! Obrigado São Paulo 464 anos, e anivespaulistas de uma década!

Breve relato por Fidelis / Vídeo e fotos por Caco Parise.

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

X SÃO ANIVESPAULO



CONCENTRA: 9h30 diante da extinta fábrica da Lambretta do Brasil S/A - Rua Jorge Nunes Kehdi (esquina com Rua Bartholomeu Paes 136), Vila Anastácio/Lapa. Presença confirmada de antigos funcionários da Lambretta. Giro simbólico por bairros que expressam um pouco desses elementos culturais brasileiros e estrangeiros com parada no Memorial do Imigrante/Mooca.

ALMOÇO NA SEDE DA SP a partir das 13h30 servido pelo Acarajazz - Sabores da Bahia. Sobremesas Yumi Yumi Goodies.

*Somente scooters clássicas e históricas!!!

Arte por Leonardo Russo
Apoio: Blog Lambretta Brasil.