Últimas Imagens

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

COKE LUXE NA SP

Nesse sábado de 12 Agosto a Scooteria Paulista abre as portas para os pioneiros do Rockabilly nacional e seus admiradores. O retorno relâmpago da banda COKE LUXE inclui a categoria dois-tempista no roteiro em grande festa.




Sim, são eles mesmo! E a festa conta também com o acervo dos DJ's Maneiro e China.

Na cozinha a Família Rossetto prepara um Barbecue Rice 'n Ribs (com opção vegan); e sobremesas por Yumi Yumi Goodies. Brejas especiais e premium, stands, souvenires, tudo a preços módicos. Aceita cartão. 

Acompanhe a página do evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/294609741006222/
*Evento aberto a todos os públicos e veículos.

Entrada: $10. 
Das 16h às 22h. 
Rua Lituânia, 52, alto da Mooca.


Arte por Leonardo Russo

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

V GIRATA D'INVERNO - MAIRIPORÃ 2017

No último domingo de 30 de Julho aconteceu a V Girata D'Inverno, o giro da categoria pelos pontos históricos e turísticos da Grande São Paulo. A SP já puxou esse evento para Paranapiacaba (Sto.André), Embú das Artes, Riacho Grande (S.Bernardo), Santana de Parnaíba, e agora para Mairiporã, rumo às alturas do Pico do Olho D'Água, uma montanha que exigiu embreagem e motor dos participantes. Por volta de 63 motonetas participaram ao todo do evento, que teve início as 8h da manhã em nossa Sede e findou às 16h.


Conforme informado, pela primeira vez a SP faria um café da manhã, magro, simples, para o metabolismo de vocês já irem se acostumando com a crise e o futuro sombrio que Brasília lhe reserva, bastardos! Das 8h às 9h30 ao som de Bad Manners e The Jam recebíamos scooteristas clássicos de um monte de lugares: ABC, capital, Campinas, Osasco, Atibaia, Franco da Rocha, São Vicente, Sorocaba, São Sebastião e por aí vai... 


Feito o briefing e diálogos de estratégia demos início ao giro rumo à Radial Leste até à Ponte Aricanduva. Quase no início da Rodovia Fernão Dias paramos para abastecimento geral e cobrança antecipada do pedágio, afim de facilitar o trânsito do comboio. A viagem pela Fernão foi espetacular: cinquenta e tantas motonetas numa grande extensão da pista, ao lado de caminhões e carros apressados. Tocamos na média dos 70 km/h, com Vespas e Lambrettas de todas as gerações do século passado. Na frente Koré e China revezavam com o Fidelis a tocada do comboio. Na rabeta Leo Russo empurrava pelas costas a frota com sua Super 150 fritando o platinado. Digamos que foi uma bela condução, sem nenhum problema ou intempérie, considerando o desafio de estarmos numa das mais tensas rodovias que saem da nossa capital, conhecida pelo tráfego de caminhões de carga pesada, viajantes de fim de semana, manchas de óleo na pista e forte ventania em diversos trechos. 


Passamos o pedágio, moto-a-moto, e represamos a frota à beira-pista. Foi quando Gustavo Rela notou o pneu da sua PX no chão. Até tentamos segurar as coisas por lá enquanto os rapazes faziam a troca, mas os fiscais da pista deram o toque pra gente não moscar ali. Então puxamos a grande maioria do agrupamento para as bordas de Mairiporã, num acostamento calmo e espaçoso no pé do Pico do Olho D'Água. Foram 20 minutos ali, tempo para re-agruparmos a frota, e puxarmos o pessoal que estava em posto de combustível próximo à nossa espera. 


Era quase 12h quando iniciamos a grande subida acima das nuvens. Foram 25 minutos de escalada. A fumaça saía debaixo das motos mas não era do motor, do escape, era das embreagens mesmo, fritando ao extremo. Alguns quase caíram para trás, quase não chegaram, mas quase, porque deu tudo certo, e no grau uma-a-uma atingiu o cume da montanha. Talvez meia dúzia tenha ficado para trás, mas não fomos informados disso, e na correria demos falta de gente (não por falta de apoio), talvez por desistência do desafio. Lá no alto o vento seco e a vista do céu azul brevemente nublado era uma coisa acolhedora. Passamos um pouco mais de meia hora por lá, proseando, fazendo fotos, conhecendo os locais. Inclusive fomos surpreendidos com a presença de dois britânicos que nos aguardavam, um deles scooterista desde os anos 90, proprietário de quatro relíquias, o Paul Parsonage, membro do Modrapheniacs Scooter Club, um grupo surgido em 1976, que participara de diversas atividades musicais nessas quatro décadas, uma delas a história aparição das Lambrettas e Vespas customizadas na abertura das Olimpíadas 2014 de Londres, quando dezenas delas invadiram o palco durante os shows do The Who e do Kaiser Chiefs. Um espetáculo!



Um pouco antes das 13h iniciamos a descida, orientada de antemão que agora a atenção era com os freios e cascalhos na pista estreita. No pé do morro represamos novamente a frota para bem-chegarmos ao Restaurante da Prosa, já dentro da cidade. Lá fomos recepcionados pelas funcionárias da casa com seus celulares em mãos para fotos e vídeos. Paramos as motos pelo caminho, à beira-rio, na grama, na rampa, e enfim celebrávamos mais uma grande reunião bem-sucedida da categoria. Do almoço em diante a coisa ficou por conta das amizades se organizarem para a volta, ou o aguardo da vassourada final que dou levando os resistentes de volta pra casa. Como se deu, as 16h30.



Bem amigos, nossos relatos andam enxugados, e dessa vez não citaremos os nomes dos presentes por questão de tempo mesmo. Tentaremos em breve montar um super-álbum para compilar as fotos gerais de encontros como esse - sugestões de como fazer isso são bem-vindas. Quem tiver mais, envie-nos por email (scooteriapaulista@gmail.com) ou use a rashtag #scooteriapaulista nas redes sociais para localizarmos. Muito obrigado a todos os presentes, a equipe SP, ao Motonetas Clássicas Campinas, ao Vespa Clube Sorocaba e por ventura a algumas outras crews e clubes que representaram nesse maravilhoso giro. Agradecemos também a todos os que se ajudaram, ofereceram uma carona, uma mão amiga quando necessário. É assim que é! Até a próxima aventura, dois-tempistas.

Fotos por Fabiano Bulgarelli, Vanderlei Fascina e Fernando Azevedo.
Relato por Fidelis.

segunda-feira, 24 de julho de 2017

V GIRATA D'INVERNO

Nesse domingo de 30 de Julho acontece a V GIRATA D'INVERNO, o passeio da categoria pela história e turismo da Grande São Paulo. E nesse ano a cidade eleita é Mairiporã. Subiremos o Pico do Olho D'Água, uma montanha asfaltada nos idos dos anos 70 e que mantém preservada a vida como ela foi.

Domingo 30 Julho
Concentra as 8h na Sede da SP: Rua Lituânia 52, alto da Mooca. (Saída as 9h)
Roteiro: Radial Leste - Rodovia Fernão Dias.
Destino: Pico do Olho D'Água, cidade MAIRIPORÃ.
Escalada de 20 minutos entre primeira e segunda marcha. Vista maravilhosa.

Almoço: Restaurante da Prosa. À vonts por 25,00. Beira do rio Juqueri.
Volta prevista para as 15h30.

Arte por Leonardo Russo

THE CHARTS NA SP

A festa de sábado 15 de julho foi das boas! Tudo começou às 16h com som ambiente e preparativos rolando. Recebemos muitos amigos da capital, do ABC, e do sul, como a gaúcha Jaqueline Pacheco (Vale dos Sinos Scooter Club). Reuniu-se cerca de 24 motonetas clássicas numa noite Mod na SP. 


O sol caía durante a discotecagem do Koré, que rolava algum punk 77, Oi! dos primeiros anos, ska two tone records etc. Foi a primeira vez dele nas pick-up com seu acervo, e adoramos! Na sequência China assumiu os CDJ's e puxou a dança geral. Experiente nas pistas, sabe conduzir uma festa.

A cozinha ficou por conta de Di Cassano, com o apoio da staff do bar Afonso, Sonnesso e Pastorelli. Ela preparou para esse dia um prato à moda inglesa, chamado Cottage Pie. (falar disso). A sobremesa ficou à cargo da Yumi Yumi Goodies, que levou brownies e pães de mel deliciosos. 

Na segunda sala improvisamos a exposição da Vespa que está realizando uma volta ao mundo, uma PX200 grega do casal Stergios Gogos e Alexandra. 14 fotos da viagem por partes da África e da América do Sul estão naquilo que na próxima festa queremos chamar de Mostra.

Às 20h os The Charts "sobem ao palco" e apresentam o repertório pesado baseado em sua obra antológica "Carbônicos", primeiro CD da banda, de 1996, lançado pela Suck My Discs. Abriram com Lambrettas, tema instrumental maximum R&B que te remete à uma cena perdida num filme do passado. A banda é formada por Flavio Teles nos vocais e guitarra, Sandro Garcia no baixo e backing vocal, Ed Cruz na gaita e backing vocal (também cantando I Need You, dos Kinks), e Roberto Santos "Vovô" na bateria. A sala encheu, quem estava perto da banda pôde sentir melhor o beat, e dançar e cantar. E tocaram muito! A casa pediu um bis, e depois mais um, e ganhou, encerrando como abriram, com Lambrettas. 

A noite fechou numa sequência de resgates dos nossos tempos de bem jovens, com Os Migalhas, Sprint 77, Laboratório SP... foi matador!!! Que festa! É preciso ficar até o fim!


Obrigado a todos!

quinta-feira, 6 de julho de 2017

THE CHARTS NA SP

A Scooteria Paulista orgulhosamente recebe, no sábado de 15 de Julho, o lendário quarteto Mod paulistano THE CHARTS. Sim, os Charts voltaram, na formação original, e vai nos presentear com clássicos como "Carbônicos", "Pegue Seu Parka", "Lambrettas". 


A banda surgiu em 1991, gravou dois discos, e fez a cabeça de duas ou três gerações de Mods e apreciadores do estilo. Se você não os conhece mas gosta de bandas como The Who e Ira!, nem pense muito, só cola! Lembrando que estamos de Sede nova, e em casa a gente se diverte melhor. 

DJ's China e Koré - (Scooterboys/Scooteria)
Pegada dançante, mod revival e ska two tone, chão de taco, diversão à moda antiga!

Na cozinha: Cottage Pie, por Di Cassano (com opção vegetariana). Doces/brownies por Yumi Yumi Goodies. Temos cervejas premium e especiais a preços módicos.

Stand de vestuário, acessórios e CD's: Red Type Shirts / The Firm Records / Street Beer.

Exposição: Worldvespa - o casal da Grécia que está realizando a volta ao mundo numa Vespa PX200. Expo da moto e venda de fotos. Stand de cds, discos, livros e canecas da Firm Records.

Entrada: 10,00
Das 16h as 23h.

*Se você não é ainda chegado de alguém da casa confirme presença no email: scooteriapaulista@gmail.com

*Show previsto para as 18h30.

Keep the faith!
Arte por Leonardo Russo

terça-feira, 4 de julho de 2017

SP DE SEDE NOVA

No sábado de 10 de junho inauguramos a nova Sede da Scooteria Paulista, também no alto da Mooca, perto da saudosa maloca que por meia década abrigou esses vagabundos meliantes dois-tempistas que vos diverte em tempos difíceis. A nova casa abrirá aos amigos uma ou duas vezes por mês, e notícias serão divulgadas nas internas, e oficialidades por aqui. Quem quiser saber da gente, viver o esquema, fazer parte dessa história, entre em contato, procure um pouco mais. E desde já, muito obrigado aos visitantes desse momento inaugural.


As 10h30 da manhã abrimos a nova Sede para organização, pinturas e um tapa na decoração improvisada. A festa foi até as 23h, com direito a bolo de aniversário da lambrettista Kelly, showzasso daquela que consideramos a banda de ska mais legal do Brasil na atualidade, o Marzela, e discotecagem pegada do Everton Mendes (ABC Reggaeboys), Cintia Mascari "Sixtie" e Diego Pontes. Tivemos as lazanhas Corazzin, e ainda os brownies da Yumi Yumi Goodies, que nos presenteou com as bolachinhas da SP. Agradecemos imensamente a todos os amigos e visitantes que estiveram com a gente, e especialmente ao vespista Kadu pelo empréstimo das pick-ups e ao Renato Delia pelas doações e todo o trabalho no sistema de som da casa, que salvou os DJ's e os dançarinos de plantão. Lembrando que no dia 15 de julho a gente começa a engrenar com as questões domésticas, apresentando o lendário quarteto mod The Charts.