Últimas Imagens

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

SKAMOONDONGOS NA SP

A noite de ontem, 18 de novembro, vai para os"top of the tops" da nossa história. Simplesmente recebemos em nossa Sede os lendários Skamoondongos, banda de ska da geração anos 90, em grande parte responsáveis pela afirmação da subcultura rudeboy e da música jamaicana no Brasil. Um resumo...

A casa abriu às 17h, quando rolava um Symarip enquanto a equipe se alinhava para receber os visitantes. Havia quase mil pessoas envolvidas na página do evento, pessoas que confirmaram presença ou interesse. A caixa de emails da lista não parava. Telefone e WhatsApp tocando a cada cinco minutos. Expectativa nas alturas. Um pouco depois Bruno Felix (Secilians Sounds) chegou com parte da sua coleção de compactos jamaicanos dos anos 60 e 70, discos raros, especiais, que rodam pelos bailes noturnos da cidade, do país, da América do Sul. Enquanto isso Sonnesso e Fidelis montavam o palco para a big band, com parte do equipamento cedido pelo adoentado Renatinho Delia. Na recepção Koré fazia as honras, com Corazzin e Gabriel Forte e Carol revezando o posto do caixa. Na cozinha Assef, Pastorelli, Vitor Hugo, Russo, Cris e Leika trabalhavam à toda nos cachorro-quentes e nas brejas e afins. China de step na área. Na sala esquerda Diogo Vinícius vendia as peitas que o povo gosta com a Red Tape, e dessa vez também as da SP. Everton Mendes (ABC Reggae Boys) chegava nesse interim para compor o time musical com seus compactos jamaicanos. 


Bom, vamos aos finalmentes: os Skamoondongos. Eles chegavam aos poucos, a banda é composta por oito integrantes: Axl Rude no vocal, Wellington de Mello na bateria, Anderson Buda no baixo,  Pêra no teclado, Anselmo na guitarra, Sonnesso no trombone, Rafael Doddy e Ícaro nos Sax tenor. Curioso foi que entre a passagem de som (às 19h45) e o show (às 20h30), a maioria do público ficou de pé como que num festival guardando o seu espaço cativo, voltados em direção ao palco. Que noite maravilhosa! E o show foi demais, um verdadeiro espetáculo desses monstros do ska nacional. Tocaram seu disco "Segundo", versões de Specials, Mighty Mighty Bosstones, Skatalites, Bad Manners etc. Lá fora muita chuva, e para não matar o povo de calor lá em cima, fizemos a festa de portas e janelas abertas, vide imagens. Valeu cada minuto, cada tune do Bruno Felix e do Everton Mendes, cada peso carregado, suor pingado, cada aperto de mão e abraço. É assim que gostamos de fazer as coisas: entre amigos, inclusivo, na raça, na entrega. E por isso agradecemos imensamente aos envolvidos nisso, à equipe Scooteria Paulista, que procura manter vivo o espírito das coisas que estavam lá nos anos 90, da música independente, da cooperação, do espírito de união e sua prática, e da produção! Bruno Felix e Everton Mendes, muito obrigado, de verdade, vocês são fora da curva! E Skamoondongos, vida longa, que possamos desfrutar de muitas mais matinês dançantes e inspiradoras. 


Vídeos por Fidelis

terça-feira, 14 de novembro de 2017

SKAMOONDONGOS NA SP

No sábado de 18 de Novembro a Scooteria Paulista abre as portas da Sede para uma gig histórica: Skamoondongos na SP. Grande matinê que promete!


Formada na metade dos anos 90, os ativistas do ska e do anti-racismo nos dão a honra dessa aula de música jamaicana, tocando temas do disco "Segundo"(1997, como Pobre Plebeu, Segunda-Feira 13, Eu Não Gosto de Você), e outras surpresas. Skamoondongos é imperdível!!

O baile é agitado pelo rocksteady e ska dos DJ's Everton Mendes (ABC Reggae Boys) e Bruno Felix (Secilians Sounds) em compactos fora de catálogo há mais de quarenta anos.

Na cozinha vamos preparar cachorro-quentes de praça, e na sobremesa Yumi Yumi Goodies traz seus deliciosas sobremesas.

Entrada: 15,00 reais ( 10,00 com nome na lista de desconto: scooteriapaulista@gmail.com )

Arte por Leonardo Russo

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

TIM STEINFORT NA SP

Na sexta-feira de 10 de outubro abrimos a nossa casa para essa extra-oficialidade: Tim Steinfort em versão acústico, diretamente da República Tcheca. Tim é vocalista do Haymaker, e outrora líder dos considerados Discharger. Abaixo um breve registro.



Às 19h a casa abria com as seleções musicais de Gabriel Forte, tocando em formato digital clássicos do punk rock e do Oi! da primeira e segunda gerações (anos 70 e 80). Na cozinha a Yumi Yumi Goodies preparava seus empadões de frango e de palmito, também apresentando os deliciosos e criativos BiscOi!tos - quem pegou? Nesse meio-tempo a The Firm Records chegava com a sua banca de camisetas e acessórios. O pessoal da banda Haymaker chegava com a 7 Produções, e na sequência os Bootboys (Chile), abrindo os trabalhos do fim de semana. Por volta das 21h30 Tim "subiu ao palco" e tocou para cerca de 70 pessoas suas músicas, e outras de sua influência, como a acima, do Pennywise, banda norte-americana de punk rock. Um esquenta do grande final de semana. Valeu total! Foi muito bom!

E fica aqui os nossos parabéns aos envolvidos nessa tour do Haymaker e convidados, e os nossos agradecimentos por incluir a Scooteria Paulista nessa história.

terça-feira, 7 de novembro de 2017

TIM STEINFORT NA SP

Nessa sexta-feira (10.Nov) a Scooteria Paulista abre as portas para esse extra em versão pocket, diretamente da República Tcheca.


Tim Steinfort é vocalista da banda Oi! HAYMAKER, e fará esse show na pegada acústica, como nesse link: https://youtu.be/2jJxkwIEUp4 ... (Além dos sons autorais, Tim toca de Beatles a Angelic Upstarts). A matinê segue embalada pela seleção de sons de Gabriel Forte.

Stands da Firm Records e da Red Tape Shirts.
Na cozinha Yumi Yumi Goodies faz empadões de frango e de palmito (versão vegan).
Entrada: 10,00. Das 19h as 23h30, com show previsto para as 21h.

Arte por Diogo Vinícius

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

VERSATILIDADE E ECONOMIA (1978)

Faz um tempo que o Bach "Marcão" Feliciano vem dispensando bastante atenção à memória das motonetas clássicas no Brasil, e a gente vai tentar replicar aqui no decorrer dos meses um pouco do seu apanhado divulgado nas redes sociais. Obrigado Bach!


Ciclomotor CIAO 50cc
Monomarcha – 80 Km por litro – equipado com velocímetro e retrovisor

Motoneta Vespa Super 150cc
4 marchas – 45 Km por litro de gasolina comum – estepe
Produzidos em Manaus por B. Forte Ind. Com. Ltda.
Distribuição para todo o Brasil ITALVESPA Distribuidora de Veículos e Peças Ltda.

Anúncio publicado na Revista Duas Rodas Motociclismo – Maio 1978

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

DOSE BRUTAL + HATED KIDS NA SP

Nesse sábado a chuvosa Mooca recebeu uma das mais importantes bandas do punk rock brasileiro, o Dose Brutal. E foi uma noite para toda a história. Segue o registro abaixo de praxe.


As 16h a casa abriu, com os primeiros visitantes já na ansiedade por essa volta do Dose, 28 anos depois do último show. A banda surgiu em 1981, e os músicos desse momento se reencontraram em nossa casa, como mostra na foto acima, com o Maozão, o primeiro vocal, que gravou o tema ao vivo "Faces da Morte" no Sesc Pompéia em 1983, do disco "O Começo do Fim do Mundo", primeiro material fonográfico do punk brasileiro. Na guitarra o Pi, fundador da banda, no baixo Samuka, e na bateria Silvinho, ponteavam esse retorno, com os Bebers Operário Rafael Piera "Itatiba" na guitarra base, e com o Anderson "Ratinho" nos vocais. Que noite! Mesmo com chuva e possibilidades de conflitos ideológicos e tretas antigas revividas entre gangues de rua, fizemos o evento na raça, assumimos "toda essa culpa", e vingou, deu mais do que certo! Na cozinha Debbie Cassano e a Leika Morishita preparava os cachorro-quentes de praça, e a Yumi Yumi Goodies trazia as sobremesas. Na sala menor rolava os stands da Red Tape Shirts e da The Firm Records, com camisetas, bottons, acessórios e ingressos para a gig do dia 11/11 na Vila Mariana. Na portaria o segurança fazia a revista, com nossa equipe se revezando na recepção dos amigos e visitantes, entre Fidelis, Diogo Vinícius e Vitor Hugo. No caixa Corazzin e no bar Pastorelli e Sonnesso deram uma puta mão. Caco Parise fazia as fotos, enquanto Koré e China se revezavam na discotecagem junto com o André Fernandes. Diego Pontes, Stofaleti, Kadu e Alemão chegaram para dar um mão na reta final da noite, quando o nosso técnico de som Renato Delia precisava partir. As 19h50 o quarteto Hated Kids mandou seu punk rock brutão, esquentando a noite. E na sequência o Dose Brutal incendiou a sobreloja, tocando onze sons e alguns repetecos. Veja abaixo as fotos e os vídeos dos dois shows.







Foi uma baita noite, que ficará em nossa memória para sempre. Muito obrigado às bandas, DJ's, aos divulgadores, e ao Dose Brutal Moto Grupo pelo apoio. É mais ou menos assim que se faz as coisas.

Fotos por Caco Parise